Polícia canadense prende suspeito de ser o autor do ataque à mesquita em Quebec

Alexandre Bissonnette, estudante franco-canadense de 27 anos, é acusado de matar seis pessoas e ferir outras oito enquanto elas oravam numa mesquita

0
3548
Alexandre Bissonnette (Facebook)

A polícia canadense prendeu dois suspeitos de envolvimento no massacre a tiros que deixou seis pessoas mortas e oito feridas numa mesquita de Quebec, ato considerado pelo primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, como um “ataque terrorista”. Apenas um dos suspeitos, entretanto, foi acusado de ser o autor dos disparos. É o estudante franco-canadense Alexandre Bissonnette, de 27 anos. O outro homem, Mohamed Khadir, foi arrolado como testemunha.

O rapaz foi preso quando passava de carro pela ponte que liga a cidade de Quebec à Ilha de Orleans. Segundo a CBC News, Bissonnette estudou ciências políticas e antropologia na Universidade Laval.

O iman (líder religioso muçulmano) encarregado da mesquita, Mohamed Yangui, não estava no local quando aconteceu o massacre. Ele confirmou que o ataque foi na ala masculina do templo, na hora em que as pessoas oravam. Cerca de 50 pessoas estavam no local na hora do ataque. Os mortos tinham idades entre 35 e 70 anos.

Em nota, o primeiro-ministro Justin Trudeau condenou o ataque. “Condenamos este ataque terrorista contra muçulmanos em um centro de adoração e refúgio”, disse. “Corta o coração ver tanta violência sem sentido. A diversidade é nossa força e a tolerância religiosa é um valor que nós, canadenses, prezamos com carinho. Canadenses muçulmanos são parte importante do nosso tecido nacional, e esses atos sem sentido não têm lugar nas nossas comunidades, cidades e nosso país”, disse ele. “A forças canadenses da lei protegerão os direitos de todos os canadenses, e farão todo o esforço para prender os autores deste e de todos os atos de intolerância”, conclui a nota.