Polícia confirma que restos mortais encontrados atrás de restaurante em NY são de brasileira

Laelcira de Lima desapareceu em 2017 em Danbury, Connecticut; polícia investiga se foi homicídio ou suicídio

0
4064
Polícia confirma que restos mortais são da brasileira (Foto Reprodução)

A polícia de Putnam (NY), confirmou na quarta-feira (12), que os restos mortais encontrados atrás de um restaurante são da brasileira Laelcira de Lima, a Cira, desaparecida em 2017 em Danburry, Connecticut. Cira saiu de casa sem levar documentos e nunca mais voltou. A polícia está investigando se ela foi vítima de homicídio ou se cometeu suicídio.

A ossada foi encontrada por um caçador no dia 1º de fevereiro, o caçador acionou as autoridades, que foram até o local no Putnam Diner para fazer análise dos ossos. A polícia também localizou roupas e pertences onde os restos mortais foram localizados.

Cira, de 53 anos, estava desaparecida desde o dia 20 de outubro de 2017. Casada e mãe de três filhos, ela teria dito que iria ao Wal-Mart e não voltou mais para casa.

Dias depois do desaparecimento, o carro da brasileira foi encontrado estacionado neste restaurante onde os restos mortais foram localizados. O restaurante fica em uma área cercada por mata fechada, a 12 milhas de Danbury. De acordo com o dono do estabelecimento, eles viram o carro há algum tempo no local, mas pensavam que o carro era de um dos funcionários, que tem um Honda igual ao da brasileira.

A dona do restaurante, Rena Hanziargriou, disse que ficou chateada com a notícia. “É triste, estamos muito tristes pela família “, disse ela na terça-feira.

A lanchonete, que está no local há 20 anos, atende frequentadores locais, famílias e pessoas de fora da cidade – principalmente esquiadores, caçadores e viajantes que passam, mas eles afirmam nunca terem visto a brasileira.

Não é incomum os caminhantes deixarem seus carros estacionados no estacionamento da lanchonete, disseram os dois. Mas depois de cinco dias se passaram e o carro ficou no mesmo local, Rena chamou a polícia. Seu pai disse que a polícia veio com drones e cães para vasculhar a área, mas nada apareceu por mais de dois anos.

Orotolano, a porta-voz do escritório do sheriff do condado de Putnam, disse que todos os restos mortais foram encontrados em um raio de dez metros.