Polícia de Massachusetts desmente acusação de estar ‘perseguindo imigrantes’

Brasileiro fez vídeos no Facebook dizendo que a Imigração estava parando as pessoas no trânsito em Boston e região

0
3708
A Tenente Fletcher seguida pela Mediadora Judicial, Sue O'brien, o repórter Thathyanno Dessa, do Brazilian Globe, e o oficial Butler
A Tenente Fletcher seguida pela Mediadora Judicial, Sue O'brien, o repórter Thathyanno Dessa, do Brazilian Globe, e o oficial Butler

Os vídeos do cabeleireiro brasileiro conhecido como Batista GC Ecrasante no Facebook fazendo alertas sobre prisões do U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE) chamou a atenção de seus compatriotas, mas também das autoridades.

Diante da repercussão dos vídeos – em que ele fala da ação dos agentes de imigração no trânsito de Massachusetts – a polícia estadual resolveu comentar o caso. As informações são do Brazilian Times.

Uma organização pró-imigrantes resolveu organizar uma reunião para esclarecer as informações, na qual participaram a tenente Fletcher, chefe de polícia estadual na área de Medford (MA), e o oficial Butler, da polícia estadual para esclarecer algumas dúvidas da comunidade e falar sobre o que aconteceu com Batista.

A tenente desmentiu a publicação de que Batista foi preso e ainda afirmou que ele apenas recebeu uma notificação por infração de trânsito. Sobre ele ter dito que era vítima de perseguição, a oficial deixou claro que um policial não atua desta forma. “Nós paramos veículos apenas se ele tiver a descrição de algum suspeito que estamos procurando, ou se a placa estiver na nossa lista de busca”, disse.

O policial Butler, que estava na reunião e fala português, foi quem fez a abordagem de Batista e garantiu que não houve prisão. De acordo com ele, apenas o carro foi guinchado.

Fletcher afirmou, ainda, que se a pessoa parada tiver apenas um mandado de prisão do ICE, mas não cometer violações sob as leis do estado, ela não é presa. Entre estas violações estão o não pagamento de multas emitidas por um tribunal e dirigir sem uma carteira de motorista do estado. Diante disso o oficial tem a obrigação de comunicar a imigração.

Outro ponto é que se o imigrante for preso por dirigir sem carteira, ele é levado a um departamento de polícia local mais próximo. A partir daí é que se inicia o processo e, em caso de necessidade, o ICE é comunicado.

Ela explicou que a grande maioria das prisões feitas pelo ICE em Massachusetts não partiu da polícia estadual. O que pode acontecer, segundo a oficial, é que o imigrante vai ao tribunal responder pela infração de trânsito e a Corte faz a denúncia para o ICE pelo fato dele ter uma carta de deportação. “Mas Polícia Estadual não faz isso”, garantiu.

Entenda o caso

O brasileiro publicou dois vídeos e em um deles filmou um carro da policial estadual de Massachusetts e disse que “provavelmente o policial estaria chamando a imigração”. Batista disse que poderia estar sendo alvo de perseguição e que fez a “live” para mostrar que a polícia está parando e chamando o ICE. “Eu acho que vocês deveriam ter mais cuidado ao sair de casa”, alerta.

Após a publicação desta reunião ser publicada nas redes sociais, Batista fez mais um vídeo afirmando que as informações da polícia não são verdadeiras. No início do vídeo, ele disse que usaram o nome dele apenas para se promover e ganhar “views” nas redes sociais. “Eles escondem que entregam para o ICE para que a comunidade não se assuste e a polícia continue agindo”, afirmou.

Imagem do vídeo onde Batista se defende das acusações
Imagem do vídeo onde Batista se defende das acusações