Policial que matou George Floyd é sentenciado a mais de 22 anos de cadeia

Derek Chauvin, condenado em abril, ouviu a sentença nesta sexta-feira (25)

0
990
Ex-policial vai passar os próximos 22 anos e meio preso pela morte de George Floyd (Reprodução)

O agora ex-policial Derek Chauvin, do departamento de polícia da cidade de Minneapolis (MN), condenado por júri popular em abril pela morte de George Floyd, ouviu sua sentença na sexta-feira (25) do juiz Peter Cahill, que o condenou a 22 anos e meio de prisão pelos crimes de assassinato de segundo grau, assassinato de terceiro grau e homicído de segundo grau. Assassinato de segundo grau é quando há morte sem premeditação, ou seja, quando o assassino não tem intenção de matar até o momento do crime.

Chauvin matou Floyd em maio de 2020, durante uma operação policial onde imobilizou a vítima com o joelho sobre seu pescoço durante nove minutos, durante os quais Floyd implorou para que aliviasse a pressão porque não conseguia respirar. A expressão ‘I can’t breath’ (não posso respirar) virou lema para a comunidade afro-americana, mobilizada após os crime para protestar contra a violência policial.

Durante o julgamento, parentes e amigos de Floyd deram seu testemunho e pediram a pena máxima para Chauvin. O irmão da vítima Philonese, disse que essa era a única maneira de por fim à tragédia. Chauvin, por sua vez, depois de ouvir a sentença pediu desculpas à família e ofereceu condolências.

Chauvin é o primeiro policial branco de Minnesota condenado pelo assassinato de uma pessoa negra.