População chinesa cai em 2018 pela primeira vez em 70 anos

Estimativa é de que população tem agora 1,27 milhão a menos de pessoas. Número de nascimentos caiu em 2,5 milhões no ano passado

0
1030
Para muitos jovens chineses, ter filhos não é uma prioridade — Foto True_Guowei Creative Commons
Para muitos jovens chineses, ter filhos não é uma prioridade (Foto: True_Guowei/Creative Commons)

A China, o país mais populoso do mundo, sofreu em 2018 o primeiro declínio demográfico em pelo menos 70 anos, apesar do abandono da política do filho único, segundo especialistas. As informações são da Agência EFE.

Os dados oficiais serão divulgados neste mês mas, sem esperá-los, o especialista Yi Fuxian, um pesquisador estabelecido nos Estados Unidos na Universidade de Wisconsin-Madison, estima que a população da China diminuiu no ano passado em 1,27 milhão de pessoas.

Uma quantidade pequena se comparada com seus 1,39 bilhão de habitantes, mais de 6,5 vezes a população do Brasil, mas algo inédito na história da República Popular da China, fundada em 1949.

Depois de que o fundador do regime comunista, Mao Zedong, fomentou a natalidade, a China instaurou em 1979 a política do filho único, com frequência criticada por sua brutalidade.

Mas diante do envelhecimento da população, o governo passou a autorizar, em 2016, todas as famílias a terem dois filhos. O problema: devido ao alto custo da educação, saúde e moradia, muitos casais preferem ficar com apenas um ou inclusive nenhum filho.