Portugal tem novo visto para estrangeiros que buscam trabalhar legalmente no país

País europeu enfrenta falta de mão de obra e criou visto para estrangeiros cuja língua oficial é o português; solicitações já podem começar nesta sexta-feira (26)

0
1562
Brasileiros estão pedindo ajuda para sair de Portugal FOTO Istoé
Brasileiros são maioria de estrangeiros em Portugal

Para tentar suprir a falta de mão de obra enfrentada pelo país, o governo de Portugal decidiu criar um visto de trabalho para estrangeiros que falam português. Neste caso, o visto vai beneficiar a maior população de estrangeiros que se encontra hoje no país: os brasileiros.

Além dos brasileiros, serão beneficiados pelo novo visto cidadãos de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

A nova modalidade permite que esses estrangeiros permaneçam em Portugal por 120 dias, com direito a 60 dias prorrogáveis, para que consigam um contrato de trabalho.

A medida entra em vigor nesta sexta-feira (26). Brasileiros poderão pedir o visto ainda no Brasil nos postos consulares de Portugal no país. Durante o período do visto, o profissional pode dar entrada na autorização de residência (AR) para regularizar a moradia, caso seja contratado.

Os portadores deste visto terão acesso facilitado aos números de identificação fiscal, que funciona como um CPF e de Segurança Social e registro, no Sistema Nacional de Saúde.

Para conseguir o documento, o cidadão não pode ter antecedente criminais e precisa ter passagem de retorno ao país de origem, já que o visto é temporário.

Se nenhum contrato de trabalho for firmado dentro do prazo estabelecido, a regra diz que os estrangeiros da CPLP deverão deixar Portugal podendo solicitar novo pedido do visto específico um ano após o vencimento do documento anterior.

O país europeu enfrenta escassez de mão de obra em vários setores, como no turismo e nos restaurantes que têm baixos salários e horários exigentes, que são pouco atraentes para os portugueses. (Com informações do InfoMoney)