Presidente da Indonésia nega perdão a brasileiro condenado à morte

Lula tentou fazer com que o presidente do país asiático usasse de clemência no caso do brasileiro

0
834

O brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira perdeu nesta quinta-feira (09/02) seu último recurso para não ser executado em um pelotão de fuzilamento na Indonésia por tráfico de drogas: a clemência do presidente Susilo Bambang Yudhoyono.

A clemência de Bambang Yudhoyono fora pedida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “O presidente rejeitou a medida e agora o promotor-geral tem a competência para ordenar a execução”, informou o ministro da Justiça da Indonésia, Yusril Ihza Mahendra, à imprensa em Jacarta.

Marco foi condenado à morte por um tribunal indonésio em junho de 2004 ao ser declarado culpado de tentar entrar no país com 13,4 kg de cocaína escondidos no estômago em agosto do ano anterior. As apelações à Justiça indonésia foram rejeitadas pela Suprema Corte em janeiro de 2005.

A Indonésia tem uma legislação muito severa com os delitos de tráfico de entorpecentes, que contempla a pena capital para os casos mais graves.

A maioria das aproximadamente 30 pessoas que esperam no corredor da morte no país foi condenada por narcotráfico.