Preso homem que planejava atentado em faculdades do sul da Flórida

Natural de Bangladesh, mas naturalizado americano, ele buscava contato com terroristas do Estado Islâmico

0
1564
Salman Rashid, de 23 anos, disse que receberia o sinal de Alá em breve para cumprir sua tarefa (Foto: Reprodução da TV – WSVN)

Um homem que havia sido expulso do Miami Dade College e do Broward College, em Fort Lauderdale – que reúnem o maior número de estudantes da Flórida – queria bombardear as duas instituições. Salman Rashid, de 23 anos, nascido em Bangladesh e naturalizado americano, foi preso acusado de tentar cometer crime de violência. O julgamento está marcado para o dia 9 de dezembro e, se condenado, ele pode pegar sentença máxima de 20 anos de prisão.

Segundo a CNN, o homem, que mora em North Miami Beach, se tornou alvo de uma investigação do FBI em 2018, depois que agentes encontraram postagens no Facebook “exibindo um ódio crescente pela América, democracia, não muçulmanos, enquanto expressava sua crença na violenta derrubada do sistema democrático e na destruição daqueles que não aceitam sua versão do Islã”.

Um agente do FBI que fingia compartilhar suas opiniões nas redes, enviou mensagem privada e estabeleceu uma amizade online. “Em maio de 2019, ele solicitou uma fonte confidencial para contatar membros do EI e instruí-los a realizar um ataque terrorista”, relata comunicado do Departamento de Justiça.

Sem saber, o jovem perguntou a um informante do FBI se teria conexões com o Estado Islâmico (EI) para realizar um atentado contra os decanos das faculdades, forneceu fotos dos alvos e informações sobre a segurança nos locais.  Rashid fez sua primeira aparição no Tribunal Distrital dos Estados Unidos em Miami, na segunda-feira, dia 25

No ano passado, um dos colegas de classe de Rashid no Miami Dade College mostrou à polícia mensagens de texto do bengalês indicando que “desenvolvia sentimentos românticos não correspondidos”. “Queima meus olhos e coração, me despedaça como humano ao imaginar vê-lo nos braços de outro homem. Desde que o Criador deste universo decidiu nosso destino e escolheu caminhos separados para nós, eu entendi o que devo fazer. No futuro, teremos um reencontro, mas as coisas serão um pouco diferentes :). Você não terá desculpas, não terá escolha e terá que se aproximar de mim”, dizia uma mensagem.   

Segundo a denúncia, por conta dessas ameaças, em dezembro o Miami Dade suspendeu Rashid. Ele passou, então, a estudar no Broward College, onde foi expulso justamente por ter escondido os problemas com a instituição de ensino anterior.

Enquanto isso, numa postagem no Facebook, afirmou que Adolf Hitler “entendia o risco de manter os judeus vivos e queria apenas destruí-los para limpar o lixo”. Em outra, ameaçou quebrar os ossos de uma seguidora se ela questionasse sua autoridade religiosa. Depois escreveu: “quando eu tiver o sinal de Alá, vou estragar tudo como achar conveniente”.

Num encontro pessoal, o informante disse a ele estar disposto a realizar o ataque desejado. Durante algumas reuniões, Rashid contou que pretendia morrer em breve, que “ainda tinha algo a fazer e planejava terminar sua tarefa antes de deixar este mundo”.