Quantidade de brasileiros barrados no aeroporto do México quadruplicou em 2021

Objetivo das inadmissões seria conter a tentativa de imigração ilegal nos EUA através do território mexicano

0
7347
Aeroporto Internacional Benito Juárez, na Cidade do México (foto: pixabay)

Entre os meses de janeiro a abril deste ano, o México mandou de volta 1.846 viajantes brasileiros que tentavam entrar em seu território. O número é quatro vezes maior que o mesmo período dos dois últimos anos, segundo um levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo.

O periódico brasileiro apurou que, em um único dia, 8 de abril, 78 brasileiros foram barrados no aeroporto mexicano; quantidade maior do que todo o mês de março de 2020. As rejeições, de acordo com a Folha, teriam como objetivo conter a entrada de pessoas que buscam atravessar a fronteira terrestre e entrar nos EUA de forma irregular.

O Ministério das Relações Exteriores (MRE) disse que percebeu a tendência e emitiu nota, alertando que “apesar de o México dispensar o visto prévio para cidadãos brasileiros, o ingresso no país não é automático”.

“Há muitos casos de viajantes brasileiros que são inadmitidos”, diz o MRE.

Enquanto aguardam a repatriação no aeroporto, os viajantes relatam maus-tratos, condições precárias de alojamento e dificuldade de se comunicar com familiares.

O jornal espanhol El País teve acesso a um vídeo feito por um imigrante no ambiente chamado de “quartinho”, para onde os viajantes rejeitados são levados.

O local conta com camas beliches muito próximas umas das outras e nenhuma medida de restrição à covid-19. ”Tinha umas 60 pessoas lá dentro, umas 40 eram brasileiras. Tiraram nosso relógios, celulares, malas, foi constrangedor”, falou ao El País o mineiro Matheus Barboza, que passou 24 horas detido.

Para evitar esse tipo de situação, o MRE orientou os brasileiros a portarem passagens de ida e volta, provas de aluguel de carro e reserva de hotel, além de comprovar renda como dinheiro ou cartão internacional.

“O ingresso informal em território dos EUA, a partir do México, é uma prática delituosa nos dois países e extremamente perigosa. A travessia representa sério risco de vida para os envolvidos ”, destaca o órgão.

O Brasil é o terceiro país com o maior número de barrados no aeroporto do México; atrás do Equador e Colômbia.