Quarto avião fretado com brasileiros deportados chega a MG na noite desta sexta-feira (14)

Desde 2006 governo brasileiro não aceitava voos com brasileiros deportados dos EUA; 350 pessoas já foram mandadas de volta em voos fretados desde outubro de 2019

0
4508
Primeiro voo fretado com deportados dos EUA chegou em outubro de 2019 (Foto Polícia Federal do Brasil)

Mais um voo fretado com brasileiros deportados dos Estados Unidos vai chegar ao aeroporto de Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte, na noite deste sexta-feira (14). Oitenta pessoas estão na lista de passageiros, de acordo com informações da Polícia Federal. Desde outubro, 330 brasileiros foram mandados de volta pelo governo americano para o Brasil.

O governo brasileiro não aceitava voos fretados com deportados desde 2006. Na época, a decisão foi tomada depois de uma CPI que investigou as deportações de brasileiros, o Itamaraty alterou a política de trato de brasileiros no exterior, incluindo aqueles acusados de imigração ilegal.

Mas desde outubro de 2019, quando o primeiro voo fretado chegou ao Brasil, essa política foi alterada pelo Itamaraty.

Essa é a segunda medida tomada pelo governo brasileiro para facilitar a deportação, em concordância com pedidos do governo Trump. Como mostrou a Reuters em agosto, o governo emitiu um parecer autorizando a volta de brasileiros no país apenas com um atestado de nacionalidade.

Isso porque a lei brasileira proíbe a emissão de passaportes à revelia do cidadão, o que impedia o governo americano de embarcar os deportados sem que eles solicitassem um passaporte. No governo Temer, sob pressão dos EUA, foi feito um acordo para que os consulados emitissem o certificado em alguns casos, mas algumas empresas aéreas se recusavam a aceitar o documento até o parecer do governo brasileiro.

Os voos fretados, no entanto, eliminam também esse problema. Não há necessidade de documento para desembarque no Brasil.

O número de imigrantes brasileiros presos nos Estados Unidos tentando cruzar a fronteira pelo México aumentou mais de 10 vezes no último ano fiscal norte-americano (outubro de 2018 a setembro de 2019), chegando a 17.900, contra 1.500 no ano fiscal anterior. Em 2019, cerca de 850 mil pessoas de diversas nacionalidades foram presas tentando cruzar a fronteira dos EUA. (Com informações da Reuters e G1)