Reino Unido impõe taxa de 25% sobre lucro de empresas de petróleo

Anúncio da restrição foi decretado na quinta-feira (26)

0
147
Ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, adota medida polêmica em um país capitalista (Foto: HM Treasury/Flickr)
Ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, adota medida polêmica em um país capitalista (Foto: HM Treasury/Flickr)

DA REDAÇÃO – O Reino Unido anunciou na quinta-feira (26) que imporá uma taxa de 25% sobre os lucros de empresas de petróleo e gás. Segundo o ministro das Finanças, Rishi Sunak, as empresas estão tendo “lucros extraordinários” somente pelo aumento dos preços das commodities.

O ministro não poupou críticas às empresas, dizendo que elas não estão assumindo riscos ou propondo inovações e mais eficiência, e por isso seus lucros seriam indevidos. 

A petrolífera britânica BP, por exemplo, registrou lucro líquido de $2,326 bilhões no quarto trimestre de 2021, valor 71% maior do que o ganho de $1,358 bilhão obtido no mesmo período de 2020.

A Shell, por sua vez, registrou lucro líquido de $20,1 bilhões em 2021 após um prejuízo de $21,7 bilhões em 2020.

Sunak também disse que o imposto sobre lucros acabará em fases, na medida em que os preços da energia e petróleo diminuam internacionalmente. 

A taxação, entretanto, não é pacífica dentro do governo britânico. O primeiro-ministro, Boris Johnson, chamou a ideia de “totalmente ridícula” e afirmou que ela pode aumentar os preços para a população e afetar novos investimentos.

A expectativa da Ofgem (Office of Gas and Electricity Markets), autoridade reguladora do setor de energia do Reino Unido, é de que, até o final do ano, as contas de energia aumentem mais de 40%. 

Ao ser questionado sobre os possíveis decréscimos em investimentos, Sunak disse ser possível taxar grandes lucros e fomentar investimentos, pois, quanto mais uma empresa investir, menos impostos ela vai pagar.

O ministro disse que também planeja taxar os “lucros extraordinários” de empresas de energia, mas não imediatamente.

A inflação no Reino Unido saltou para 9% no mês passado, puxada pela alta dos preços de alimentos e energia, atingindo sua maior taxa anual em 40 anos. O Banco da Inglaterra espera que a inflação suba acima de 10% no final deste ano. 

Em março de 2021, o preço médio mensal do Brent foi de $63,54, enquanto em maio, até o momento, a média de valor é de $112,12, aumento de cerca de 77%. (Com informações do Monitor do Mercado)