Rejeitada nos EUA, pintura com Trump nu é exposta em Londres

Banda de rock liderada por Axl Rose tocou para apenas 250 pessoas em nightclub de Los Angeles

0
3872
Homem observa quadro de Illlma Gore que retrata republicano nu e com genitais pequenos
Homem observa quadro de Illlma Gore que retrata republicano nu e com genitais pequenos

DA REDAÇÃO (com EFE) – Várias galerias de arte dos Estados Unidos proibiram a artista californiana Illma Gore de expor em suas paredes um quadro do polêmico magnata Donald Trump, pré-candidato republicano à presidência do país e que na obra aparece nu e com genitais pequenos.

A obra, na qual Trump aparece com os braços sobre um joelho, pode ser vista em exposição na galeria britânica de arte contemporânea de Maddox, no bairro londrino de Mayfair, segundo disse no sábado (9) à agência de noticias Efe a artista, que vive em Los Angeles, na Califórnia.

“Acho curioso que com a liberdade de expressão dos Estados Unidos eu tenha que ir a Londres para mostrar minha arte”, criticou a jovem, que é conhecida por suas reivindicações feministas e performances artísticas.

O quadro tem um preço de quase $1,4 milhão e seu nome coincide com o lema de campanha de Trump: “Make America Great Again” (Fazer aos EUA grandes de novo).

Mal dotado

Na pintura, Trump aparece com seu característico cabelo loiro, uma cara de deboche, uma pulseira, os braços apoiados em uma perna e um pênis pequeno, que foi alvo de grande controvérsia e piadas pelas redes sociais.

Pintar o magnata nova-iorquino com pequenos genitais tem como objetivo “começar um debate sobre gênero e sobre por que a sociedade dá tanta importância ao que um homem tem dentro de suas calças”, segundo explicou Illma Gore. “Basicamente, você pode ser uma pessoa ruim sem importar o que está em suas calças. Seus genitais não definem o gênero, seu poder, ou sua inteligência”, acrescentou.

Ao ser perguntada, a artista não quis dar o nome das galerias dos EUA que não a permitiram expor a obra. “Não posso dar os nomes das galerias porque não quero colocá-las em primeira linha de fogo. Era mais por segurança e porque Donald Trump entrou com ações legais e também incita a violência contra todos os que não o apoiam”, criticou Illma, que disse ter recebido ameaças.

A artista afirmou que o conteúdo de sua pintura foi proibido nas redes sociais Twitter e Facebook e que também não pôde vender seu quadro através da plataforma de comércio eletrônico eBay.