Relatório de inflação de setembro mostra preços mais altos do que o previsto

Os preços dos mantimentos subiram 0,7% em relação a agosto e 13% em comparação aos últimos 12 meses.

0
526
Foto: Karolina Grabowska - Pexels

O relatório do Índice de Preços ao Consumidor de setembro, divulgado na quinta-feira (13), mostrou que os preços estão subindo mais rápidos do que previsto por especialistas.

Segundo a pesquisa, o índice geral subiu 8,2% em setembro em relação ao ano anterior, uma ligeira moderação em relação aos 8,3% do mês anterior – mas isso ocorreu porque os preços da gasolina caíram, uma tendência que se inverteu desde então. Porém, todos os outros items contemplados no relatório sofreram aumento.

Os preços dos mantimentos subiram 0,7% em relação a agosto e 13% em comparação aos últimos 12 meses.

De acordo com algumas métricas, a inflação atingiu um novo auge. Excluindo alimentos e combustíveis, o chamado índice central subiu 6,6%, a escalada mais rápida desde 1982 e mais do que os economistas esperavam.

A variação mensal dos preços também subiu 0,4% em relação a agosto, o dobro do que os economistas previam.

O média dos alugueis residenciais subiu 7,2% no ano até setembro. Essa medida geralmente fica em cerca de 3% ao ano.

Segundo o relatório, os gastos do consumidor se mantiveram estáveis em parte por causa dos fundos de estímulo do Covid-19 e um mercado de trabalho que tem sido resiliente. Em setembro, a taxa de desemprego caiu para 3,5%, empatada com a menor desde o final de 1969.