Republicana da Flórida apresenta projeto para legalização de indocumentados

Projeto da deputada Maria Elvira Salazar prevê que imigrantes façam background check, paguem impostos devidos e paguem outros $10 mil em restituição ao governo “por entrar no País ilegalmente”

0
2822
Maria Elvira Salazar (Foto Divulgação)

A deputada Maria Elvira Salazar, do Partido Republicano, apresentou no dia 8 de fevereiro, um projeto que prevê a legalização de imigrantes indocumentados que estejam nos Estados Unidos há mais de cinco anos e sem antecedentes criminais.

O projeto denominado “The Dignity Act” daria a esses imigrantes um caminho para a cidadania, desde que uma série de requisitos seja obedecido. Entre eles, o pagamento de uma “multa” de $10 mil por ter entrado ilegalmente no País.

“Eu sou uma mulher filha de imigrantes. Eu posso fazer isso porque eu conheço meu povo e sei que tudo o que eles querer é dignidade”, disse a deputada de Miami a repórteres. “Eles amam esta terra e esta é coisa certa de se fazer por eles”.

A deputada ressaltou que a medida não se trata de uma anistia. “Nós temos mais de 11 milhões de pessoas usando nossas rodovias, escolas e hospitais de graça. Por isso sabemos que não existe anistia, não existe essa ideia de viver gratuitamente por tantos anos, sem consequências”.

A proposta

Por meio do projeto de lei, os Dreamers, trazidos para os EUA ainda crianças, seriam legalizados imediatamente. Outros imigrantes, desde que estejam nos EUA há pelo menos cinco anos, teriam a chance de aplicar para obter um visto de dez anos. Nesse período, teriam que pagar $1 mil por ano, durante dez anos, ao governo. O dinheiro seria usado para aumentar a segurança nas fronteiras.

Os beneficiados pagariam, ainda, 2% de taxa descontados no contracheque, que seria enviado a um fundo imigratório.

A legislação prevê, ainda, a obrigatoriedade do uso de E-verify (ferramenta usada para checar se o funcionário tem autorização de trabalho), aumento da penalidade para traficantes de pessoas, entre outras medidas para coibir a imigração ilegal.

A deputada contou com o apoio de outros colegas republicanos, mas enfrentou críticas de democratas. O projeto ainda precisa ser discutido e aprovado pela Câmara e Senado, o que não deve acontecer nos próximos meses.