Resquícios do furacão Agatha ameaçam atingir a Flórida esta semana; 11 morreram no México

Uma área grande e complexa de baixa pressão que se formou no Atlântico após a passagem de Agatha pode se transformar em Alex nas próximas 48 horas e tem o Sunshine State como alvo

0
4604
Sistema deve atingir as regiões sul, sudeste e as Florida Keys (foto: NHC-Miami)
Sistema deve atingir as regiões sul, sudeste e as Florida Keys (foto: NHC-Miami)

O escritório de Miami do National Hurricane Center (NHC) está monitorando dois sistemas que se formaram no Golfo do México a partir do furacão Agatha e ameaçam atingir a Flórida esta semana. O furacão de categoria dois desembarcou na região sul do país mexicano na noite de segunda-feira e deixou um saldo de 11 mortos até o momento. Mais de 20 pessoas estão desaparecidas.

A previsão dos meteorologistas é de que os resquícios de Agatha se desloquem para o noroeste do Mar do Caribe e sudeste do Golfo do México e ajudem a desencadear uma depressão tropical que tem o Sunshine State como um dos alvos. Para que o sistema seja nomeado precisa atingir uma velocidade mínima constante de 39 mph em seu centro. Se isso acontecer, a primeira tempestade da temporada 2022 no Atlântico será chamada de Alex.

Por se tratar de uma grande e complexa área de baixa pressão, o NHC ainda não tem clareza sobre os possíveis impactos e o trajeto preciso do fenômeno. Mas estima que o sul, o sudeste e região das Flórida Keys estariam na rota. Na manhã desta quarta-feira (1), os especialistas avaliaram que a chance de que sistema se organize nas águas do Atlântico nas próximas 48 horas é de 70%. O resultado pode ser muita chuva, ventania e formação de tornados.