Rubio diz que vai acabar com o DACA se eleito

Pré-candidato Republicano à presidência muda de opinião e promete suspender a medida que beneficia imigrantes que chegaram ainda crianças aos Estados Unidos

0
1102

DA REDAÇÃO – Pré-candidato Republicano à presidência, o senador pela Flórida Marco Rubio disse na quarta-feira que suspenderá o programa de ação deferida para crianças (DACA) caso seja eleito presidente. O programa foi criado em 2012 para proteger da deportação e conceder autorizações de trabalho temporárias para os imigrantes que chegaram ainda crianças aos Estados Unidos.

“O DACA vai ser extinto. E a melhor forma de fazê-lo será substituí-lo por um sistema que crie uma alternativa”, disse Rubio à imprensa em Manchester, Hampshire. “Mas se não houver alternativa, vai acabar do mesmo jeito. Isso não pode continuar sendo uma política permanente dos Estados Unidos.”

A medida assinada em 2012 pelo presidente Obama permite que pessoas que tenham entrado nos EUA antes de terem completado 16 anos de idade possam requerer permissões de trabalho válidas por dois anos, e ainda os protege da deportação, caso passem por verificações de antecedentes e preencham outros requisitos. Em novembro do ano passado, o presidente expandiu o benefício para mais três anos. Uma corte federal entretanto suspendeu a medida, mas a suspensão não afetou os beneficiários iniciais do programa. Mais de 700 mil jovens imigrantes já se beneficiaram da medida, os chamados DREAMERS.

Em um vídeo divulgado pelo grupo de pesquisas políticas American Bridge, o Republicano confirmou que o DACA “Uma hora tem que acabar.”

Alguém perguntou ao senador se isso aconteceria mesmo que o Congresso não aprove uma reforma imigratória. “Sim, tem que acabar. Na verdade, eu já disse que não deveríamos mais permitir que usem o programa. Temos que parar com as inscrições.”

Na quinta-feira, Rubio confirmou suas intenções. “Ao meu ver, tanto o DACA quanto a segunda ordem executiva na verdade prejudicaram a causa pela reforma imigratória, como eu disse que aconteceria quando o presidente agiu.”

Rubio tem endurecido o discurso imigratório desde que falhou em aprovar em 2013 uma lei de ampla reforma imigratória, que incluía um caminho para a cidadania. A lei foi duramente criticada pelos conservadores, que rejeitaram a legislação. Rubio concluiu então que uma ampla reforma imigratória seria praticamente impossível.

O pré-candidato também mudou de ideia quanto à proteção aos jovens imigrantes indocumentados, desde que começou sua campanha à presidência.

Em abril, ele havia declarado em entrevista ao jornalista Jorge Ramos, da Univision, que o DACA era “importante.”

“Acho importante o DACA”, disse Rubio a Ramos, em espanhol. “Não pode ser suspense de uma hora para outra, porque já há pessoas que se beneficiam dele.”

Rubio, de 44 anos, é filho de imigrantes cubanos que chegaram aos Estados Unidos em 1956, ainda durante o governo de Fulgêncio Batista na ilha. Os pais ainda não eram cidadãos americanos quando ele nasceu, e apenas naturalizaram-se em 1975.