Senado derruba projeto de lei Republicano para acabar com o Obamacare

Senadores votam de madrugada e decidem por 51 a 48 pela manutenção do sistema de saúde de Obama

0
3541
John McCain (R-Arizona) e duas senadoras Republicanas votaram contra o projeto

O presidente Trump e seus correligionários Republicanos no Congresso sofreram um duro golpe na madrugada de sexta-feira, quando o Senado votou por 51 a 49 contra o mais recente projeto de lei do partido para derrubar o Affordable Care Act (ACA), o sistema de saúde implementado pelo ex-presidente Obama em 2010, conhecido como Obamacare.

A extinção e substituição do Obamacare era uma promessa Republicana, feita há sete anos, e o partido justamente aguardava a maioria que hoje possui no Congresso, além da própria presidência, para cumpri-la.

“Três Republicanos e 48 Democratas abandonaram o povo americano. Como eu disse desde o começo, vamos deixar que o Obamacare imploda, e depois negociar. Assistam!”, esceveu o presidente Trump na sua conta do Tweeter.

O senador John McCain, Republicano pelo Arizona, diagnosticado com câncer no cérebro, teve o voto decisivo que derrotou o projeto de lei do GOP que acabaria com o Obamacare. As senadoras Republicanas Susan Collins, do Maine, e Lisa Murkowski, do Alaska, juntaram-se a McCain no voto negativo.

O projeto de lei eliminaria a obrigatoriedade de se possuir seguro saúde (ou pagar uma multa), e suspenderia por oito anos a obrigatoriedade das empresas com mais de 50 funcionários oferecerem seguro saúde aos empregados.

A medida também acabaria com fundos destinados à medicina preventiva e proibiria que os beneficiários do Medicaid recebam reembolsos por serviços prestados pelo Planned Parenthood por um ano. Acabaria também com o imposto de 2,3% sobre fabricantes de aparelhos médicos, por três anos.

Além disso, da forma que estava redigido o projeto poderia significar o fim do seguro saúde para cerca de 23 milhões de pessoas.