Senador Marco Rubio quer acabar com ‘privilégios’ imigratórios de cubanos

Nos EUA, o cubano que pisa em solo americano tem todos os direitos imigratórios garantidos

0
3596
Guarda Costeira intercepta barco com cubanos na Flórida
Guarda Costeira intercepta barco com cubanos na Flórida

Da Redação com Sunsentinel – Desde 1959, o cubano que pisa em solo americano tem todos os direitos imigratórios – social security, residência e cidadania – garantidos. Eles também recebem subsídios do governo. Pela lei conhecida como “pé seco”, “pé molhado”, o imigrante da ilha só é mandado de volta a Cuba se for pego no mar. O senador do Partido Republicano Marco Rubio quer acabar com o que chama de privilégio para os cubanos.

“Muitos de vocês sabem que sou filho de imigrantes cubanos. Eu vivo num lugar onde a comunidade cubana teve um papel importante para o nosso país, mais especificamente no sul da Flórida. Mesmo assim, volto a afirmar, essa distinção entre imigrantes não se justifica mais”, disse o senador que desistiu de concorrer à presidência dos EUA há pouco mais de um mês.

A proposta de Rubio é acabar automaticamente com o status de refugiados para os cubanos e colocá-los na mesma categoria que os demais imigrantes.

A proposta de Rubio é acabar automaticamente com o status de refugiados para os cubanos
A proposta de Rubio é acabar automaticamente com o status de refugiados para os cubanos

Num discurso inflamado no plenário do Senado, Rubio disse para os colegas. “Um número significante de pessoas chega a este País de Cuba porque eles sabe que chegando aqui receberão todos os benefícios federais que nenhum outro grupo de imigrante se qualificaria, a menos que prove que seja refugiado”, disse. E acrescentou: “A atual política é um abuso e está ferindo os direitos de quem paga impostos. Existem pesquisas que mostram que o suporte financeiro a cubanos passa de $680 milhões e este número tem só aumentado”.

Outros senadores republicanos, John Cornyn do Texas e Jeff Flake do Arizaona assinaram a medida proposta por Rubio. Na Câmara dos Deputados, a proposta contou também com apoio dos democratas Frederica Wilson, Debbie Wasserman Schultz e Lois Frankel, todos da Flórida. Além desss, outros 30 parlamentares apoiam o projeto.

De acordo com o U.S. Customs and Border Protection, mais de 43 mil cubanos entraram em território americano no ano passado, sendo que 10 mil chegaram a Miami e o restante cruzou a fronteira do México. Com a aproximação dos dois países desde o final de 2014, os cubanos estão com medo que acabe a lei para exilados e estão vindo cada vez mais.

Os haitianos também têm os mesmos privilégios dos cubanos, porém não seriam afetados pelaproposta do senador.