Suprema Corte rejeita ação legal para invalidar eleição presidencial na Pennsylvania

Parlamentares Republicanos queriam anular todos os votos enviados pelo correio no estado

0
910
Suprema corte americana
Prédio da Suprema Corte dos Esatdos Unidos, em Washington, D.C.

A Suprema Corte dos Estados Unidos rejeitou nesta terça-feira (8) uma ação movida pelo Partido Republicano para invalidar a eleição na Pennsylvania.  A ação foi impetrada deputado federal Republicano Mike Kelly, sob a argumentação de que uma lei estadual de 2019 que autoriza o voto pelo correio é inconstitucional e que por isso todos os votos enviados por via postal na eleição da Pennsylvania deveriam ser anulados.

Kelly e vários outros parlamentares Republicanos entraram com a ação na SCOTUS no dia 21 de novembro, demandando que o estado da Pennsylvania rejeitasse os 2.5 milhões de votos que foram enviados pelo correio e no seu lugar deixasse que os parlamentares estaduais escolhessem os eleitores que representariam a Pennsylvania no Colégio Eleitoral.

A Suprema Corte do estado também já havia anteriormente unanimamente descartado a ação em 28 de novembro, sob a alegação de que o Partido Republicano demorou demais para questionar a lei.

A decisão sinaliza que a mais alta corte do País não pretende endossar o esforço do presidente Trump em permanecer na presidência. Ele perdeu a eleição tanto no voto popular quanto no Colégio Eleitoral mas se recusa a admitir a derrota.

O presidente-eleito, Joe Biden, venceu Donald Trump no estado por uma diferença de 81,660 votos.