Tempestade de neve fecha escolas e cancela voos no nordeste dos EUA

Diversas instituições de ensino cancelaram as aulas nesta quinta, viagens de trens foram suspensas e dezenas de voos estão atrasados

0
2543
FOTO REUTERS/Lucas Jackson
FOTO REUTERS/Lucas Jackson

DA REDAÇÃO, COM REUTERS – Tempestades de neve estão castigando o nordeste dos Estados Unidos. Centenas de milhares de pessoas estão sem energia elétrica, escolas estão fechadas e as estradas estão cobertas de neve, o que torna o trânsito perigoso.

Rajadas fortes de vento de até 55 milhas por hora e 30 centímetros de neve são esperados do leste de New York até o norte do Maine nesta quinta-feira (8), dia posterior à chegada da tempestade à região, informou o Serviço Nacional do Clima dos EUA em vários boletins e alertas.

Até 60 centímetros de acúmulo de neve estão previstos em algumas partes continentais de New Jersey, New York, Connecticut e Massachusetts, e o Maine pode receber 45 centímetros de neve.

As escolas públicas de Boston, além de dezenas de escolas em toda a Nova Inglaterra, cancelaram as aulas nesta quinta, e autoridades locais e meteorologistas alertaram os usuários dos transportes públicos sobre as condições de baixa visibilidade e as estradas escorregadias.

“Como os esforços de remoção da neve estão em andamento, pede-se aos motoristas que fiquem longe das estradas, fiquem em casa e em segurança”, disse o Departamento de Polícia de Boston no Twitter.

A operadora de trens Amtrak suspendeu os serviços entre Nova York e Boston até ao menos as 10h locais e cancelou dezenas de rotas.

Voos cancelados

Duas dezenas de voos já haviam sido cancelados de manhã, já que cerca da metade de todos os voos programados foram cancelados nos três grandes aeroportos que servem a cidade de NY na quarta-feira.

Mais de 2.100 voos estavam atrasados e 2.700 haviam sido cancelados, a maioria deles no nordeste dos EUA, na noite de quarta-feira (7).

A neve densa e os ventos fortes derrubaram árvores e linhas de energia, deixando milhares sem eletricidade na Nova Inglaterra e no Médio Atlântico, de acordo com o Poweroutage.us, um site que monitora blecautes.