Tempo de espera para obter cidadania americana dobrou nos últimos dois anos

Processos estão demorando como nunca para serem concluídos; advogados atribuem demora ao maior número de aplicações

0
6612
U.S. Citizenship and Immigration Services (USCIS)
U.S. Citizenship and Immigration Services (USCIS)

O tempo para aspirantes à cidadania americana conseguirem jurar a bandeira está cada vez maior. De acordo com reportagem do New York Times, o tempo de espera está duas vezes maior na administração Trump e pode chegar a 31 meses, como é o caso de Las Vegas, onde os casos de imigração se acumulam.

Um total de 750.793 processos de cidadania estavam pendentes em junho de 2018, último dado disponível. A velocidade com que esses casos estão sendo processados é a mais lenta dos últimos anos.

Os atrasos se devem a fatores como o grande número de aplicações e ao fato de que os casos estão sendo avaliados com mais rigor. Hoje, nos Estados Unidos, cerca de nove milhões de pessoas portadoras do green card estão aptas a dar entrada na cidadania, mas muitas não o fazem por falta de dinheiro ou por não saber inglês, já que é necessário fazer um teste no idioma.

“O USCIS continua a julgar milhares de casos de naturalização pendentes, que dispararam sob a administração Obama, mais do que dobrando de 291.800 em setembro de 2010 para quase 700.000 até o início de 2017. Agora, apesar de uma carga de trabalho recorde de registro e sem precedentes, estamos concluindo mais processos de cidadania, de forma mais eficiente e eficaz”, disse Michael Bars, um porta-voz da agência ao NY Times.

Uma carta enviada no último dia 12 ao diretor do U.S. Citizenship and Immigration Services foi assinada por 86 membros do Congresso preocupados com o atraso excessivo com processos de cidadania e também de green card, vistos e extensões.

O tempo de processamento de casos varia de estado para estado. Em Houston, Texas, por exemplo, pode demorar mais de dois anos; em Atlanta, Georgia, mais de dois anos. Em Kentucky o processo é concluído em dez meses e em New York chega a um ano.

Cidadania negada

“Pela primeira vez, estamos vendo pessoas que dão entrada na cidadania terem o caso negado, perderem o green card e muitas são colocadas em processo de deportação”, disse Ted Farrell, advogado de imigração de Kentucky.

Ahmed Bafagih, de 31 anos, teve a cidadania negada depois de passar por entrevista e afirmar ter nascido no Quênia e não no Yemen, como aparecia em seu processo. Ele está recorrendo da decisão.

“Eu agi na boa-fé, tentei corrigir um erro que teria passado despercebido e acabei perdendo meu green card”, disse Ahmed.