Tornados deixam mais de 100 mortos em oito estados americanos

Cidade do Kentucky foi 75% destruída; mais de 50 tornados foram reportados no fim de semana

0
1917
Tornados causaram destruição no Kentucky (Foto REUTERS:Cheney Orr)

Mais de 100 pessoas morreram depois que uma série de tornados atingiram pelo menos oito estados da região do Meio-Oeste dos Estados Unidos na última sexta-feira e sábado (11).

Somente no Kentucky, o número de mortos passa de 80 e, segundo o governador Andy Beshear, esse número vai aumentar. No estado, pelo menos 18 condados sofreram danos pela passagem dos tornados. Mais de 50 mil pessoas ficaram sem energia elétrica em suas casas.

Na pequena cidade de Dawson Springs, 75% da comunidade foi destruída e o lugar “parece uma praça de guerra”. “É pior coisa que já vi na minha vida”, disse um morador da cidade há mais de 60 anos. “Tudo muito triste”.

Pelo menos 50 tornados atingiram oito estados segundo o National Weather Service. Agentes do Federal Emergency Management Agency (FEMA) estão nessas localidades prestando assistência às vítimas. Mais de 300 solados da Guarda Nacional foram deslocados para o Kentucky para trabalhar na reconstrução.

“A devastação é algo que se vê em zonas de guerra. Casas, lojas e prédios inteiros foram levados da face da Terra”, disse o diretor do FEMA, Michael Dosset.

Esses tornados foram originados de uma série de tempestades que ocorreram durante a noite, incluindo uma de supercélulas que se formou no nordeste do Arkansas. Essa tempestade saiu de Arkansas e Missouri e seguiu para os estados de Tennessee e Kentucky.

Vítimas em galpão da Amazon

Em Illinois, as autoridades perderam a esperança de encontrar mais sobreviventes no centro de distribuição da Amazon, na cidade de Edwardsville, que teve o telhado arrancado.

No sábado foram confirmadas as mortes de seis trabalhadores. O chefe dos bombeiros local James Whiteford informou que ao menos 45 funcionários da Amazon teriam conseguido sair em segurança dos escombros do centro de distribuição que ocupava uma área de mais de 150 mil metros quadrados.

Não está claro quantos trabalhadores ainda estão desaparecidos, já que a Amazon não tinha uma contagem exata de quantas pessoas trabalhando no centro de triagem e entrega na hora dos tornados, disse o chefe dos Bombeiros responsável pelas buscas.