Trabalhador ferido no desabamento de obra em New Orleans é preso e pode ser deportado

Hondurenho trabalhava na construção do Hard Rock Hotel, que desabou parcialmente na semana passada

0
1463
Desabamento em obra do Hard Rock Hotel deixou três mortos (Foto: Reuters/Social Media)

Um trabalhador hondurenho ferido no desabamento parcial de um hotel em construção em New Orleans, na semana passada, escapou do pior no acidente, mas não escapou do longo braço dos agentes imigratórios.

Delmer Ramirez, que trabalhava na obra, foi preso logo depois que deu uma entrevista para um casal hispânico de televisão e está sob custódia do ICE, aguardando sua deportação.

O advogado do hondurenho, Daryl Grey, disse que a preocupação maior é com o estado de saúde de Ramirez, por conta dos ferimentos que sofreu no desabamento. Segundo o advogado, Ramirez não está tendo cuidados médicos necessários na cadeia, e necessita de cirurgia.

O desabamento de uma parte do Hard Rock Hotel, ainda em construção, em New Orleans, matou três pessoas e feriu outras 20. O hondurenho entrou com uma ação pedindo compensação pelos ferimentos sofridos na obra.

O porta-voz do ICE, Bryan Cox, confirmou ao site de notícias HuffPost que Ramirez está em custódia, mas disse também que a prisão não foi feita por sua agência. O hondurenho foi preso pelos agentes do Bayou Sauvage National Wildlife Refuge (USFW), a cerca de 14 milhas de New Orlean, enquanto pescava sem licença, disse o porta-voz. Um cruzamento de informações revelou que Ramirez tem uma ordem de deportação em aberto desde 2016, e por essa razão está em custódia. Cox disse ainda que as acusações de que o ICE estaria perseguindo os trabalhadores indocumentados que ficaram feridos no desabamento são “francamente ofensivas e ultrajantemente falsas.”

Segundo o jornal New Orleans Advocate, os agentes do USFW chamaram a Border Patrol quando Ramirez identificou-se somente com documentos estrangeiros. A prisão de Ramirez e a perspectiva de deportação assustaram outros trabalhadores, que agora estão receosos de procurar ajuda médica, segundo o advogado de Ramirez.

“Falei com várias pessoas e elas estão com medo. Falei com as famílias e elas estão com medo. Têm medo de também serem presos e deportados”, disse Grey. “Não estão tendo condições para buscar a ajuda médica necessária”.

 Ramirez está nos EUA desde 2000 e trabalhava em construção há dez anos, disse o advogado.

(Com informações do HuffPost)