Trabalhadores do setor aéreo cruzam os braços e centenas de voos têm atraso no Brasil

0
1064

Ao todo, 103 voos domésticos e internacionais sofreram atrasos e 138 foram cancelados

Pilotos e comissários fazem paralisação no Brasil
Pilotos e comissários fazem paralisação no Brasil

Da Redação com UOL – Trabalhadores do setor aéreo fizeram protesto na manhã desta quarta-feira (3) nos principais aeroportos brasileiros, causando atraso em voos e transtorno para os passageiros. No final da manhã, dos 820 voos programados (domésticos e internacionais), 103 estavam atrasados e 138 tinham sido cancelados, segundo a Infraero.

Segundo a estatal, a situação deve ser normalizada ao longo do dia, mas não há uma previsão concreta, porque a paralisação impacta toda uma rede.

A paralisação foi convocada por sindicatos dos aeronautas (comissários e pilotos) e dos aeroviários (profissionais que atuam em solo), que cobram reajustes salariais de 11% para repor a inflação.

O aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, não havia registrado nenhuma decolagem até 7h20 (horário de Brasília). Assim como nos outros aeroportos afetados, a paralisação acabou às 8h, como previsto pelo Sindicato Nacional dos Aeronautas.

No aeroporto, um grupo segurava, por volta de 6h30, placas com a frase “Nossa segurança é a sua”, além de faixas. Membros do sindicato da categoria falavam ao alto-falante com aqueles que aderiram à paralisação.

Entre 6h e 8h20, nove voos estavam atrasados e outros nove haviam sido cancelados. Em alguns casos, os atrasos chegavam a duas horas.

No Aeroporto Internacional de Guarulhos, dos 87 voos programados entre meia-noite e 7h, um tinha sido cancelado, duas decolagens tinham atrasos superiores a 30 minutos e dois voos que pousariam no local tinham atrasos de mais de 30 minutos.

Durante as duas horas de greve, a TAM registrou atraso em 46 voos domésticos e 4 internacionais, além de três cancelamentos nos 12 aeroportos impactados.

A companhia aérea informou que passageiros com voos domésticos agendados entre 6h e 18h ou voos internacionais entre 6h e 8h desta quarta estarão liberados das taxas de remarcação e da diferença de tarifas para que antecipem os voos ou adiem viagem em até 15 dias a partir da data do voo original, mediante disponibilidade. A recomendação é para que os clientes entrem em contato com a empresa.

A Gol não informa quantos dos seus voos foram cancelados ou atrasados. A companhia confirma que foi impactada pela greve e diz que os cancelamentos e as reprogramações de voos foram previamente avisados aos passageiros. Durante toda a terça-feira, a empresa contactou clientes por emails, mensagens e telefonemas e afirma que todos foram reacomodados em outros voos, “recebendo toda a assistência necessária”.

Os que preferirem, segundo a Gol, podem remarcar suas viagens sem taxas e de acordo com a disponibilidade, ou solicitar reembolso integral de suas passagens.

A Azul Linhas Aéreas informou que, em caso de qualquer atraso ou cancelamento, prestará assistência aos clientes impactados. A companhia fará o possível para manter a normalidade de suas operações.