Três ex-policiais envolvidos na morte de George Floyd recebem punição pelo crime

Eles foram acusados de serem cúmplices do crime, já o ex-policial - que asfixiou o homem negro e desencadeou protestos em todo o País- teve a acusação agravada como homicídio em segundo grau

0
1574
Ex-policiais Chauvin, Thao, Lane e Kueng estão presos em Minneapolis (Foto Divulgação Policia de Minneapolis)

Os quatro ex-policiais que estiveram presentes à abordagem que resultou na morte de George Floyd, de 46 anos, por asfixia foram punidos pelo estado do Minnesota.

Derek Chauvin, que pressionou os joelhos no pescoço de Floyd resultando em sua morte por asfixia, teve a acusação agravada para homicídio em segundo grau (assassinato intencional não premeditado, quando o autor tem intenção de causar danos corporais à vítima).  Já os três ex-policiais que testemunharam a ação foram indiciados por serem cúmplices do crime e por favorecerem o homicídio.

George Floyd morreu pouco depois de uma abordagem policial no dia 25 de maio em Minneapolis e, desde então, protestos eclodiram em todo o País.

O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira pelo procurador do Estado do Minnesota, Keith Ellison.

Os policiais envolvidos na abordagem foram demitidos pouco depois da morte de Floyd, mas apenas Chauvin havia sido preso por homicídio culposo em terceiro grau. Agora, Thomas Lane e Alexander Kueng, que ajudaram a segurar Floyd, e Tou Thao, que estava no momento da ação, mas não fez nada para impedir, responderão pelo crime.

Segundo o advogado da família, Benjamin Crump, as novas acusações são um “momento agridoce”, já que, apesar da tristeza pela morte, eles se sentem gratos pela ampliação. Ainda de acordo com Crump, o promotor afirmou que, caso existam evidências que justifiquem, a acusação de Chauvin ainda pode ser elevada a homicídio em primeiro-grau.

Embora apenas Chauvin apareça no vídeo, com o joelho sobre o pescoço de Floyd, Lane, Kueng e Thao também ajudaram a imobilizar a vítima, segurando o corpo do ex-segurança.