Três juízas negras estão na mira de Biden para ocupar uma vaga na Suprema Corte

Aposentadoria do juiz Stephen Breyer abre caminho para a primeira indicação do presidente à mais alta Corte do país

0
490
Da esquerda para a direita: Leondra Kruger, Ketanji Brown Jackson e Michelle Childs (foto: AP)

Pelo menos três  mulheres negras estão na mira do presidente Joe Biden para ocupar a vaga do juiz Stephen Breyer, na Suprema Corte dos EUA. Breyer, que foi indicado pelo ex-presidente Bill Clinton está há 28 anos na função e anunciou que irá aposentar nos próximos meses. Esta pode ser a única cadeira a ser preenchida por Biden em seu governo. Entre as prováveis candidatas anunciadas pela Casa Branca estão: Leondra Kruger, juíza da Suprema Corte da Califórnia; Ketanji Brown Jackson, do Tribunal Federal de Washington, DC; e Michelle Childs, de South Carolina.

A promessa de colocar uma mulher negra na mais alta corte do país foi feita ainda durante a campanha presidencial. Mas para cumpri-la, Biden precisa passar o nome  no Senado, onde os democratas detém uma maioria apertada. Além da contagem de votos dos senadores, Biden também tem de estar atento ao calendário. Há uma expectativa de que os republicanos retomem o controle do senado nas eleições de meio mandato, e eles já sinalizaram que pretendem bloquear um candidato do presidente à Suprema Corte. Normalmente, leva-se de dois a três meses para um presidente ver o seu candidato confirmado pelo Senado após a nomeação. No entanto, a mais nova juíza da Corte, Amy Coney Barrett, indicada por Donald Trump, foi confirmada em apenas um mês e meio, já que os republicanos se apressaram para obter a aprovação antes das eleições de 2020.