Trump acabará com DACA, diz Reuters

Presidente vai cancelar o programa assinado por Obama que protegia da deportação jovens imigrantes que foram trazidos ainda crianças para os EUA

0
5846

O presidente Trump pretende cumprir uma promessa de campanha e cancelar a Deferred Action for Childhood Arrivals (DACA), o programa assinado pelo ex-presidente Obama que protege da deportação imigrantes indocumentados que chegaram ainda crianças aos Estados Unidos, informou a agência de notícias Reuters neste domingo.

O governo vai cancelar as autorizações de trabalho e acabar com as proteções de mais de 800 mil jovens já beneficiados pelo programa, segundo a Reuters. O cancelamento, entretanto, só entrará em vigor daqui a seis meses, tempo durante o qual espera-se que o Congresso faça alguma coisa a respeito.

A Casa Branca deve anunciar a decisão de Trump na terça-feira.

O presidente decidiu contra as recomendações de alguns Republicanos, incluindo o presidente da Câmara (Speaker of the House), Paul Ryan, que na sexta-feira (1) disse que Trump deveria manter o DACA em vigor enquanto o Congresso trabalha numa alternativa.

O programa permite que imigrantes indocumentados que chegaram aos EUA antes dos 16 anos possam requerer autorizações de trabalho váliadas por dois anos, além de ficarem protegidos da deportação. Desde que a medida foi assinada pelo ex-presidente Barack Obama, em 2012, mais de 800 mil jovens foram beneficiados por ela.

Trump disse várias vezes durante a campanha que acabaria com o DACA – que ele considera inconstitucional – imediatamente após empossado presidente.

Sem o DACA, os beneficiados pela medida, conhecidos como Dreamers, estarão sob o risco da deportação. Os funcionários do governo Trump já disseram que ninguém está livre da remoção, e têm deportado estrangeiros indocumentados indiscrimidamente, mesmo aqueles que não cometeram nenhum crime.

O cancelamento terá um impacto econômico. Se os beneficiários do DACA não puderem renovar suas autorizações de trabalho, cerca de 700 mil pessoas atualmente empregadas perderão seus empregos, seis mil só na primeira semana após o cancelamento, de acordo com um estudo feito pela FWD.us e o Center for American Progress.

Os parlamentares Republicanos têm repetidamente bloqueado esforços para proteções legais aos Dremers, mas depois do cancelamento de Trump já há planos para fazer alguma coisa pelos jovens. O senador Thom Tillis pretende apresentar um projeto de lei chamado Recognizing America’s Children (reconhecendo as crianças da América – RAC), que daria status legal para uma categoria mais restrita de jovens que foram trazidos ainda crianças para os Estados Unidos.

O presidente da Câmara, Paul Ryan, disse na sexta-feira que quer aprovar uma lei para os Dreamers.

“Essas pessoas estão num limbo”, disse Ryan. “São crianças que não conheceram outro país, foram trazidos pelos seus pais e não conhecem outro lar, por isso acredito que isso precisa de uma solução legislativa, e estamos trabalhando nisso.”