Trump diz que considera governador da Flórida seu candidato a vice em 2024

O ex-presidente disse em entrevista que estava “amando” a combinação Trump-DeSantis. Entretanto, no último CPAC, o próprio DeSantis foi apontado como possível cabeça de chapa do partido Republicano para 2024

0
1011
Trump encerrou seu mandato de quatro anos em 20 de janeiro após ser derrotado em novembro passado pelo democrata Joe Biden (foto: flickr)
Trump encerrou seu mandato de quatro anos em 20 de janeiro após ser derrotado em novembro passado pelo democrata Joe Biden (foto: flickr)

O ex-presidente Donald Trump disse nesta quinta-feira (29) que é quase “100% certo” que ele concorrerá às eleições presidenciais em 2024 e que considera Ron DeSantis, o governador da Flórida e um de seus mais fiéis aliados, como seu vice-presidente.

Durante uma entrevista ao canal Fox News, o republicano disse que estava “amando” a combinação Trump-DeSantis .

“Estou estudando muito a sério, mais do que a sério, mas por questões jurídicas ainda não quero falar muito sobre isso. É muito cedo”, disse Trump.

Desde que perdeu a presidência dos EUA para o democrata, Joe Biden, Trump se radicou em Palm Beach e tem recebido uma peregrinação de políticos na sua residência no clube Mar-a-Lago em busca de seu apoio para as próximas eleições legislativas de 2022. Mas ele disse na entrevista que as eleições do ano que vem “não são sua prioridade”.

O ex-mandatário foi o padrinho político de DeSantis nas eleições de 2018. “Apoiei Ron e depois que o apoiei, ele disparou como um foguete”, declarou.

O governador da Flórida foi o anfitrião da Conservative Political Action Conference (CPAC), o maior encontro de ativistas e políticos conservadores do país, que aconteceu em Orlando em fevereiro passado. No evento, o próprio DeSantis foi apontado como um forte cabeça para a chapa republicana em 2024.

Na ocasião, especulou-se que Trump estaria “magoado” com DeSantis por ele não haver empregado esforços para ajudá-lo a reverter os resultados eleitorais de novembro passado, vencidos por Biden.