Trump restringe a contratação de estrangeiros pelo governo dos EUA

O presidente ordenou uma auditoria nas agências do governo para comprovar que os trabalhadores americanos não estão sendo substituídos "injustamente" por "mão de obra estrangeira.

0
1229
"Se trair os trabalhadores americanos, ouvirá três palavras: 'Você foi demitido'", disse Trump.(Foto: Flickr)

Donald Trump está exigindo que as agências federais do EUA provem que não estão contratando trabalhadores estrangeiros para vagas que , segundo o presidente, deveriam ser ocupadas por americanos. “É injusto os empregadores federais substituírem americanos perfeitamente qualificados por trabalhadores de outros países”, anunciou a Casa Branca.

Nesta segunda-feira (3) Trump assinou uma ordem-executiva determinando uma auditoria interna nas agência do governo para comprovar a presença de funcionários nacionais dos EUA nas posições estratégicas dessas organizações.  

A decisão veio após a Tennessee Valley Authority (TVA) anuciar que pretendia terceirizar 20% dos seus empregos em tecnologia para empresas vendidas em países estrangeiros, usando o visto H-1B, destinado à profissionais qualificados.

No início dessa semana, Trump disse que havia demitido o presidente da TVA, Skip Thompson após ele ter feito essas declarações. Ele também ameaçou remover todos os executivos do alto escalão dessas agências federais, caso insistissem em contratar mão de obra estrangeira.

“Se trair os trabalhadores americanos, ouvirá três palavras: ‘Você foi demitido'”, disse Trump.

A ordem executiva também ocorre quando alguns jornalistas internacionais da Voice of America,  estação de rádio americana ouvida em todo o mundo,  aguardam uma decisão sobre a renovação de seus vistos J-1. 

Sob a orientação do mandatário dos EUA, o novo diretor da Voice of America, Michael Pack, suspendeu a renovação dos vistos, deixando no limbo pelo menos 76 jornalistas que produzem a programação internacional da rádio.