Trump se nega a assinar pacote de ajuda econômica contra impactos da covid-19

Presidente criticou a inclusão de ajuda financeira às pessoas que estão em situação irregular e afirmou que os "imigrantes ilegais iriam receber muito mais" que os americanos; presidente quer também aumentar valor dos cheques-ajuda de $600 para $2 mil

0
1702
Trump argumentou que a medida busca proteger os empregos do americanos na pandemia (foto: reprodução Twitter)
Trump argumentou que a medida busca proteger os empregos do americanos na pandemia (foto: reprodução Twitter)

Donald Trump se negou a assinar o novo pacote de alívio econômico no valor $900 bilhões enviado pelo Congresso à Casa Branca nesta terça-feira (22).            

Trump afirmou que a legislação é “realmente uma desgraça” e exigiu que sejam feitas emendas ao texto.

“Estou pedindo ao Congresso para mudar essa lei e aumentar essa quantia ridícula de $600 para $2mil ou $4 mil para o casal”, disse o Republicano. “Também estou pedindo para imediatamente se livrar de itens desnecessários e me enviar uma legislação adequada, ou então a próxima administração terá que entregar um pacote de ajuda. E talvez essa administração seja eu. E faremos”, continuou.

Entre os “itens desnecessários” citados por Trump no pacote econômico incluem ajuda financeira a países da África e América Central e o repasse de dinheiro a pessoas em situação irregular no país.

“O projeto garante o pagamento de cheques-estímulo para familiares de imigrantes ilegais, os autorizando a receber até $1,8 mil cada. Isso é muito mais do que está sendo dado aos americanos”, afirmou.

Entretanto, o pacote não prevê pagamentos a imigrantes sem documentos. Em vez disso, permite que os cidadãos e residentes que apresentarem uma declaração de imposto de renda conjunta com um cônjuge indocumentado possa receber até $1,2 mil para o casal.

Dois pacotes em um

O pacote de ajuda à população impactada pela covid-19 foi anexado a uma legislação mais ampla que engloba todo o orçamento federal do próximo ano no valor de $1,4 trilhão, motivo pelo qual foram listadas verbas para ajuda internacional e cultura.

Porém, Trump não separou as duas propostas ao critica-las: “É chamado de projeto de lei de alívio covid, mas não tem quase nada a ver com o covid”, ironizou.

Logo após o pronunciamento de Trump – que foi feito em um vídeo postado no Twitter- lideranças da Câmara e do Senado regiram na mesma rede social.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, do partido Democrata comentou: ” Por fim, ele concordou em $ 2.000 – os Democratas estão prontos para levar isso ao plenário esta semana por consentimento unânime. Vamos lá! “

O líder da minoria no Senado, Chuck Schumer, também repondeu: “Passamos meses tentando garantir cheques de $ 2.000, mas os Republicanos bloquearam. Trump precisa assinar o projeto de lei para ajudar as pessoas e manter o governo aberto. Os americanos precisam. “

Se Trump vetar o pacote, ele volta para o Congresso que tem o poder de anular os vetos em uma nova votação com maioria de dois terços dos votos na Câmara dos Deputados e no Senado. A medida foi aprovada na Câmara por 359-53 e no Senado por 92-6.

Veja os principais itens que compõem o pacote de $900 bilhões enviado pelo Congresso à Casa Branca:

  • Pequenas empresas: $ 325 bilhões
  • Pagamentos diretos para a população: $ 166 bilhões
  • Auxílio a desempregados: $ 120 bilhões
  • Suporte às escolas: $ 82 bilhões
  • Distribuição de vacinas e programa de testes: $ 69 bilhões
  • Auxílio para aluguéis: $ 25 bilhões
  • Outros: $ 100 bilhões