Vida longa ao Rei LeBron James

0
4682

O esporte é o microcosmo da sociedade. Muitos heróis e vencedores anônimos ou reconhecidos apenas em suas comunidades deixam suas marcas entre aqueles que sabem admirá-los. No esporte profissional, isto é devidamente documentado, registrado e geralmente regiamente recompensado. No domingo, 19 de junho de 2016, uma nova página de heroísmo foi inscrita nos anais do esporte. Nem mesmo todo dinheiro e fama ganhos em toda sua carreira foram suficientes para pagar o orgulho e a felicidade demonstrados por LeBron James na Oracle Arena, em Oakland, Califórnia, após o encerramento do Jogo 7 entre Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers, clube que tinha em suas fileiras um dos mais espetaculares jogadores de basquete de todos os tempos.

Quebra de recordes

No átimo de segundos, ele quebrou várias escritas e maldições para reescrever a história dos vencedores determinados. Em toda existência da NBA – a melhor liga de basquete do planeta -, nunca uma equipe que esteve em desvantagem de 1 a 3 nas finais havia conseguido reverter esta desvantagem. Pois bem, o Golden State Warriors, em uma temporada impecável, havia demolido o recorde do lendário Chicago Bulls que vigorava por 20 anos, quando o time comandado por Michael Jordan estabeleceu a impressionante marca de 72 vitórias e apenas 10 derrotas durante a temporada regular de 1995/1996. Nesta temporada 2015/2016, o time do técnico Steve Kerr que tem como estrelas os Splash Brothers, a dupla formada por Klay Thompson e Stephen Curry – este eleito como o Jogador Mais Valioso (MVP) da temporada por unanimidade, inscreveu uma marca ainda mais significativa: 73 vitórias e só 9 derrotas!

Playoffs eletrizantes

Com todos esses números, poucos especialistas ousaram desafiar o favoritismo time californiano para chegar ao bicampeonato. Entretanto, uma lesão inesperada de Curry na primeira série de playoff contra o Houston Rockets fez com que o craque ficasse menos tempo em quadra e fosse poupado em algumas partidas. Entretanto, o time dos brasileiros Leandrinho Barbosa e Anderson Varejão não teve dificuldades para passar pelo adversário com 4 a 1. Na semifinal da Conferência Oeste, novamente a equipe da Baía de San Francisco venceu o Portland Trail Blazers também por 4 a 1 com pouca participação de Curry. Na final da Conferência, porém, a coisa engrossou. O Golden Star Warriors chegou a ficar em desvantagem de 1 a 3 perante a forte equipe do Oklahoma City Thunder. Entretanto, Curry voltou a mostrar seu ótimo basquete e o Golden State Warriors bateu o OKC, dos ótimos Kevn Durant e Russell Westbrook, por 4 a 3 para chegar à final da NBA.

Playoffs tranquilos

Se na Conferência Oeste, os playoffs foram emocionantes, do lado da Conferência Leste o campeão Cleveland Cavaliers passeou. Na primeira fase, venceu o Detroit Pistons por 4 a 0. Na semifinal, outro 4 a 0, desta vez contra o Atlanta Hawks. Somente na final da Conferência Leste, sofreu um pouco. Depois de ter aberto 2 a 0 contra o Toronto Raptors, o time do Canadá conseguiu vencer duas partidas interrompendo a sequência de 10 vitórias consecutivas nos playoffs. Porém, tudo ficou no susto e o time de Ohio liquidou a fatura em 4 a 2.

Maldição de LeBron James

Após ter chegado à final quando jogava pelo Cleveland Cavaliers na temporada 2006/2007 e ter sido batido inapelavelmente pelo time de San Antonio Spurs por 4 a 0 e sofrido com a forte equipe do Boston Celtics do trio Paul Pierce, Ray Allen e Kevin Garnett nas finais da Conferência Leste, King James (como foi apelidado pela mídia) cometeu um dos maiores sacrilégios. Trocou o time de Cleveland, da cidade que estende seus tentáculos até Akron onde o garoto LeBron James nasceu pobre, filho de uma jovem mãe que não tinha sequer um marido. Ele decidiu, então, como agente livre, trocar a fria e sem graça cidade de Cleveland pela ensolarada e charmosa Miami, ao assinar um contrato com Miami Heat, juntando-se a Dwayne Wade e Chris Bosh para formar o Big Three do sul da Flórida. Inconformados, fãs queimaram camisas de LeBron James, o dono da franquia, Dan Gilbert, execrou publicamente o craque e muitos analistas consideraram que ele adotou uma poustua cômoda. Ao lado de outros dois craques, ficaria fácil para ele conquistar o tão almejado anel de campeão da NBA.

Redenção de LeBron James

A vinda de LeBron James para o Miami Heat cumpriu a profecia dos analistas. Depois de assinar contrato com o clube do sul da Flórida, ele chegou a quatro finais, tendo vencido duas – uma contra o Oklahoma City Thunder e outra contra o San Antonio Spurs – e perdido duas – uma contra Dallas Mavericks e outra contra o San Antonio Spurs. Anéis nos dedos, ele surpreende todos an anunciar seu retorno ao Cleveland Cavaliers para saldar a dívida que deixara com a franquia, com a cidade, com Ohio e sobretudo com ele mesmo: ser campeão vestindo a camisa do Cleveland Cavaliers.

Pulverizador de recordes

Na temporada passada, LeBron e seus companheiros venceram a Conferência Leste, porém, foram derrotados nas finais pela sensação do campeonato: Golden State Warriors. O time inovou com seu jogo rápido e com suas letais cestas de três pontos. De quebra, revelou para o mundo um novo craque: Stephen Curry. Mesmo com toda energia e dedicação, King James pouco pôde fazer para evitar a derrota após as lesões de Kyrie irving e Kevin Love, que formam com ele o trio de craques da equipe de Ohio. Esta temporada, no entanto, tudo mudou. Se Kevin Love ficou devendo um basquete de alto nível após ter sofrido uma concussão e ter voltado no sacrifício, Irving demonstrou ser um ótimo escudeiro de LeBron James. No jogo 5, ambos anotaram 41 pontos cada um, quebrando a escrita de pela primeira vez dois jogadores do mesmo time terem anotados mais de 40 pontos em um dos jogos das finais da NBA. Após terem ficado em desvantagem de 1 a 3, todos decretaram o fracasso do Cleveland Cavaliers. LeBron James desmentiu os prognósticos e a franquia se tornou a primeira da NBA a quebrar esta escrita. Há 52 anos, a cidade de Cleveland não comemorava uma conquista expressiva de um de seus times nos principais esportes americanos. A última vez foi com o Cleveland Browns, que havia vencido o Campeonato da NFL. Pois, agora, a principal cidade de Ohio sorri vitóriosa com a conquista do Cleveland Cavaliers, que nunca haviam conquistado um Campeonato da NBA. Poucos haviam visto LeBron James chorar copiosamente. Mas o craque jogou-se no tablado e deu vazão à sua emoção após ter conseguido seu objetivo. Sua contribuição para qui isto ocorresse? Simples. O craque fez um triple-double anotando 27 pontos, dando 11 assistências e caputrando 11 rebotes nos 47 minutos que esteve em quadra. O lance mais emblemático, entretanto, foi o toco dado em Andre Iguodala nos últimos segundos da partida evitando que o jogador do Golden State Warriors fizesse a enterrada. Com isto, ele garantiu a vitória, calou a torcida adversária e saiu da quadra carregando dois troféus: o de campeão da NBA e o do Jogador Mais Valioso (MVP) das finais, com toda justiça. Vida longa ao Rei!

Novo líder

Faz tempo que o Palmeiras não empolgava tanto seus torcedores como nesta temporada. Após 10 temporadas, o Verdão lidera o Brasileirão 2016 com números consistentes: sete vitórias, duas derrotas e um empate, com 21 gols marcados e 10 sofridos. Apesar da boa campanha, o time paulista não reina absoluta. Pode ser igualado em pontos com o Internacional, que jogou na quinta-feira (23) no Paraná contra o Coritiba, e ficar somente um ponto à frente de outra equipe gaúcha, pois o Grêmio recebeu o vitória em Porto Alegre, enquanto o São Paulo atuou como favorito contra o Sport no Morumbi. O líder, porém, vem demonstrando ser uma equipe insinuante, que envolveu completamente o América-MG no Allianz Parque e venceu por 2 a 0 com gols de Gabriel Jesus e boas atuações de vários jogadores.

Flamengo sobe na tabela

Outro time que vem fazendo boa campanha é o Flamengo. Depois de bater o Santa Cruz, no Recife, por 1 a 0 (gol de William Arão) na quarta-feira (22), o Rubro-Negro carioca entrou no G-4. Depois de um início titubeante, o Mengo vem ajustando suas linhas e demonstrando progressos. A defesa está melhorando depois das contratações dos zagueiros Rever (ex-Inter) e Rafael Vaz (ex-Vasco) e da provável vinda de Donatti, zagueiro argentino do Rosario Central. Falta ainda definir quem será o novo comandante porque o clube vem sendo dirigido interinamente por Zé Ricardo.

Mineiros reagem

Atlético-MG e Cruzeiro não vêm fazendo campanhas de acordo com as expectativas de seus torcedores. Entretanto, na quarta (22), as equipes mostraram poder de reação. O Cruzeiro fez sua primeira boa partida no Campeonato Brasileiro e goleou a Ponte Preta em Campinas por 4 a 0 – dois gols de De Arrascaeta, um de Henrique e outro de Alisson -, deixando o Z-4. No sábado, o Cruzeiro enfrentará o Palmeiras no Mineirão, enquanto a Ponte Preta jogará com o Vitória em Salvador. Já o Atlético-MG não tomou conhecimento da estreia de Cristóvão Borges no Corinthians e venceu o clube paulista por 2 a 1, com gols de Fred e Cazares para os mineiros e um de Lucca para o Timão. Enquanto o Atlético-MG fará o clássico mineiro com o América-MG no Estádio Independência, o Corinthians receberá o Santa Cruz, no Itaquerão, em São Paulo.

Santos surpreende Flu

O Santos, que tradicionalmente joga mal fora da Vila Belmiro, surpreendeu o Fluminense ao bater o Tricolor do Rio de Janeiro por 4 a 2 – dois gols de Gabigol, um de Rodrigão e um de Luiz Felipe e dois de Marcos Jr. para os cariocas. O jogo foi disputado no Estádio Cleber Andrade em Cariacica, Espírtio Santo, porque os clubes cariocas estão como nômades, uma vez que o Maracanã vem sendo preservado para os Jogos Olímpicos de Verão, que serão realizados em agosto. O resultado colocou o Alvinegro praiano perto do G-4. Seu próximo adversário é o clássico contra o Flamengo, marcado para a Arena das Dunas, em Natal no domingo. O Santos também terá um clássico, recebendo o São Paulo na Vila Belmiro, no domingo.

Argentina e Chile na final

Um ano após o Chile ter conquistado sua primeira Copa América em Santiago ao vencer a Argentina, os dois adversários voltam a se encontrar na final da Copa América Centenário nos EUA no domingo (26) para decidir qual país reinará no continente americano até a próxima competição. Os duas seleções mostraram bom futebol e aplicaram goleadas nos adversários. O Chile perdeu apenas uma partida, justamente para a Argentina na estreia do torneio, enquanto a seleção Albiceleste venceu todos os jogos na competição.