Washington DC e leste dos EUA enfrentam nevasca histórica

Mais de 6 mil voos para os EUA já foram cancelados entre quinta (21) e sexta-feira (22)

0
1726

Da Redação com CNN – Começou na tarde desta sexta-feira (22) a nevasca histórica prevista para a região de Washington (DC) e o leste dos Estados Unidos. A neve chega com um mês de atraso e já está causando grandes estragos.

De acordo com reportagem da CNN, entre quinta-feira (21) e sexta-feira (22) mais de 6 mil voos foram cancelados na região. Cerca de 30 mil pessoas estão sem energia elétrica em North Carolina. A tempestade “monstruosa” atinge o sul e o meio-Atântico nesta sexta-feira (22) e segue na direção nordeste dos EUA atingindo as grandes cidades. Mais de 70 milhões de pessoas poderão ser atingidas pelas nevascas em vários estados.

Os primeiros estados a serem atingidos pela neve é o Tennessee e North Carolina na manhã de sexta, com neve cobrindo por inteiro as cidades de Asheville, Charlotte e Greensboro. As pistas estão muito escorregadias e o alerta é que os motoristas evitem sair com os carros. O pior esperado mesmo é para a região de Washington DC. New York e a Philadelphia também serão atingidas.

A nevasca continuará ao longo de todo final de semana com possibilidade de 2 pés e meio de neve. Os ventos aumentam ainda mais a sensação de frio e estarão com velocidades de até 30mph. Em Maryland, a força dos ventos deve chegar a 65mph na tarde de domingo.

“Essa nevasca colocará em risco muitas vidas. As pessoas devem ficar em casa e se proteger”, alertou o serviço de meteorologia.
Os cidadãos de Washington e do restante do leste dos Estados Unidos se preparam para a gigantesca tempestade de neve Jonas, que ameaça soterrar a capital neste fim de semana. A cidade já enfrenta problemas de trânsito devido a nevascas mais leves.

Nevasca Jonas
Se as previsões se confirmarem, a nevasca denominada “Jonas” pode ser a segunda maior nevasca registrada em Washington desde 1922. Neste ano, uma tempestade de neve provocou a morte de centenas de pessoas, após a queda do teto do Knickerbocker Theatre, uma sala de cinema.

As nevascas e o vento “causarão condições perigosas com risco de morte e danos à propriedade”, informou nesta quinta-feira o Serviço Nacional Meteorológico (NWS, na sigla em inglês).

“Estimamos que as possibilidades de se deslocar serão, se não impossíveis, muito limitadas durante o auge da tempestade na noite de sexta-feira e no sábado”, acrescentou a NWS.

Alertas e voos cancelados
Quinze estados decretaram alertas, desde os estados da costa atlântica (entre New York e Carolina do Sul) até o estado do Arkansas, no centro do país.

Centenas de voos foram cancelados. A American Airlines anunciou o cancelamento de todos os seus voos do sábado nos dois aeroportos de Washington, os três de Nova York, assim como nos terminais aéreos de Baltimore e da Philadelphia. A United Airlines também informou a suspensão de seus voos internacionais de e para Washington.

Problemas no transporte
A capital americana deve ser uma das cidades mais afetadas, mas também Baltimore e talvez Philadelphia, com até 60 cm de neve. Já Nova York e Boston, mais ao norte, devem evitar as nevascas.

Até o presidente Barack Obama, que voltava do Salão do Automóvel de Detroit, teve de atrasar seu retorno para a Casa Branca até quarta-feira à tarde. Sua comitiva levou quase o dobro do tempo necessário para cobrir a rota entre o aeroporto de Andrews e a sede presidencial.

O prefeito de Washington, Muriel Bowser, declarou a cidade em estado de emergência. Com isso, torna-se possível obter recursos federais, se for necessário.