Morador do Kansas atira e mata indiano somente por ele ser “estrangeiro”, dizem testemunhas

"Saiam do meu país", gritou Adam Puriton, antes de atirar em Srinivas Kuchibhotla e Alok Madasani, engenheiros de software da empresa de GPS Garmin

0
18630
Srinivas Kuchibhotla (na foto com a esposa), engenheiro de software, tinha 32 anos

Um morador do Kansas foi preso na quinta-feira depois de atirar em três pessoas dentro de um bar, matando uma e ferindo as outra duas. O indiano Srinivas Kuchibhotla morreu e Alok Madasani, também indiano, ficou ferido. Segundo testemunhas, o agressor gritou “saiam do meu país” várias vezes antes de atirar.

O FBI está investigando o assassinato junto com as autoridades locais, disse um porta-voz da agência ao NPR. Os investigadores estão averiguando se os direitos civis das vítimas foram violados no crime.

O incidente aconteceu no Austins Bar & Grill, em Olathe (Kansas). Srinivas e Alok trabalham para a Garmin, a gigante do ramo de GPS que tem sede na na cidade. A polícia diz que Adam Puriton, de 51 anos, atirou nos dois homens e em um cliente do bar que interveio para defender as vítimas.

Srinivas, de 32 anos, morreu ao dar entrada no hospital. Alok, de 32 anos, e o outro ferido, Ian Grillot, de 24 anos, recuperam-se no hospital.

Testemunhas disseram que a agressão parecia dirigida aos estrangeiros. Segundo o jornal Kansas City Star, “pelo menos uma testemunha disse que ouviu o homem gritar “saiam do meu país” pouco antes de atirar em Srinivas e Alok. Depois da agressão, Adam fugiu a pé e começou um perseguição. Cinco horas depois, Adam teria dito a um barman do Applebee’s em Cinton (Missouri), que precisava de um lugar para se esconder porque tinha acabado de matar dois homens do ‘oriente médio’.

O procurador do condado de Johnson, onde Adan Purinton foi preso, disse que ele está sendo acusado de assassinato premeditado do primeiro grau e duas tentativa de assassinato. Ele está detido sob fiança de $2 milhões e deve ser transferido para responder ao processo no Kansas.

O crime gerou imediatamente um movimento de apoio às vítimas no Go Fund Me. Um amigo criou uma página para a família de Srinivas Kuchibhotla. Sreedar Harohawley, da Indian Association of Kansas City, disse à repórter Laura Ziegler, da rádio KCUR, que sua comunidade está em choque coma violência.

A empresa de GPS Garmin sempre estimulou a diversidade no seu quadro de funcionários, e emprega vários estrangeiros de alta qualificação, como os engenheiros de software indianos Srinivas Kuchibhotla and Alok Madasani.