Seca revela pegadas de dinossauros de 113 milhões de anos em leito de rio no Texas

Imagens divulgadas por paleontólogos mostram pegadas de três dedos que seriam do predador Acrocantossauro

0
1159
Rastro deixado por dinossauro no Dinosaur Valley State Park, no Texas (foto: Dinosaur Valley State Park)

A seca histórica que atinge o Texas revelou pegadas de dinossauros deixadas há mais de 100 milhões de anos no leito do rio Paluxy, que fica nas proximidades da cidade de Glen Rose. Os rastros já eram conhecidos por paleontólogos, mas não eram vistos 2000, quando o Paluxy secou pela última vez por causa do clima severo.

O professor da Southern Methodist University, Louis Jacobs, explicou em entrevista à BBC News que as pisadas foram deixadas por um dinossauro da espécie Acrocantossauros, um terópode carnívoro parente do Tiranossauro Rex que andava sobre duas patas e cujo nome significa “lagarto de espinhas altas”.

Os passos impressos no fundo do rio indicam que eles tinham garras afiadas nos três dedos das patas, que serviam para prender as presas ao chão ao serem abatidas. O local, hoje conhecido como Dinosaur Valley State Park , beirou um oceano no passado. Segundo Jacobs, as profundas marcas das patas se solidificaram após ficarem muito tempo expostas, e os sedimentos se tornarem um arenito – tipo de rocha que é formada por areia. “Você pode ver as unhas dos pés. São espetaculares”, disse o professor.

Os Acrocantossauros do Texas caçavam um tipo herbívoro conhecido como Sauroposeidon, que tinha o pescoço muito comprido e viajava em rebanhos. As marcas da jornada dos Sauroposeidons se assemelham a pegadas de elefantes e também são encontradas no parque.

O Dinosaur Valley é o local que registra rastros de dinossauros mais bem preservados do mundo. Estima-se que em toda área haja 140 no total, 60 estão visíveis agora. Em condições climáticas normais, as pegadas ficam debaixo d’água sob sedimentos.

Na semana passada, mais de 87% do estado texano foi classificado situação de seca severa, extrema ou excepcional.