A fé na comunidade (IV) – A igreja evangélica Nova Aliança

0
5063

Leidimar Lopes é um homem de muitas atividades junto à comunidade brasileira na Flórida. Atual presidente da BRAUSA (Brazilian Association in the USA) e criador da Associação de Pastores Brasileiros da Flórida e também do mais novo veículo de comunicação em língua portuguesa, a revista Idéia, ele não deixa de cuidar da Igreja Nova Aliança, que ele próprio fundou e vem sendo seu principal orientador espiritual.

“Adoro começar as coisas. Sou uma pessoa que não se contenta com o já existente. Por isto, criei o Ministério Comunidade Nova Aliança com o propósito de servir como um local onde fosse possível pregar o Evangelho e levar a palavra de Deus”, declarou Lopes.

E isto vem desde cedo. Aos 16 anos, ele trocou Goiânia, sua cidade natal, por Campinas, onde foi estudar no Seminário Batista Independente. Lá, se formou em Teologia e depois cursou Psicologia na PUC de Campinas. Neste meio tempo, estudou grego e hebraico durante quatro anos – inclusive, é tradutor de grego e foi professor de hebraico – e depois retornou a Goiânia para ser pastor da Igreja Batista Independente, com somente 21 anos de idade.

Aqui cabe uma explicação: Leidimar Lopes pertenceu à Igreja Batista Independente, congregação que foi fundada na Suécia e levada para o Brasil por missionários suecos a fim de atender a uma pequena comunidade de suecos que mora no Rio Grande do Sul. A Igreja Batista Independente é uma variação da Igreja Batista, fundada nos Estados Unidos.

Segundo Lopes, as diferenças entre as duas igrejas são mínimas. A Igreja Batista é mais tradicional enquanto a Independente é mais renovada, buscando mais a aproximação através da contemporaneidade. Ou seja, busca-se alcançar os fiéis através de cultos com valores mais atuais. E é exatamente este conceito que o pastor levou para a Igreja Nova Aliança.

Vinda para os EUA – Depois de se ter formado em Teologia e Psicologia, Lopes fez um estágio em Brasília e assumiu a função de pastor em Goiânia. Mas, no íntimo, ele tinha um sonho: ir para os Estados Unidos e tornar-se um teólogo, pois os estudos bíblicos nos EUA e na Europa são mais avançados.

E o convite surgiu de maneira inesperada. Através de uma igreja de portugueses e açoreanos de New Jersey. “Minha irmã e meu cunhado haviam freqüentado esta igreja e comentaram a meu respeito. Aí, eles resolveram me convidar para assumir a igreja. Havia estudado espanhol na faculdade, mas quando cheguei aos EUA em 1986 me proibi de falar espanhol para me dedicar ao inglês. Hoje, também me comunico em espanhol”, comentou o pastor.

A experiência foi considerada excelente. Durante quase dez anos ele ficou no nordeste dos EUA pregando para os fiéis. Como a Igreja Batista Independente não tinha recursos suficientes para enviar um missionário aos Estados Unidos, Lopes decidiu abrir sua própria denominação – a Igreja Nova Aliança -, e hoje possui duas igrejas na região: uma em New Jersey e outra em New York, além de um seminário para formação de novas lideranças. “Neste período, testemunhamos o crescimento da comunidade brasileira naquela região e abrimos canais de comunicação com nossos patrícios”, disse o pastor.

Em conversas com algumas pessoas, muitos afirmaram que a comunidade brasileira estava crescendo bastante na Flórida. Seria, portanto, um bom lugar para se pregar o Evangelho em português.

Trabalho com drogados – A idéia fascinou Lopes, que acabou desembarcando na Flórida, adotando como principal alvo os jovens brasileiros que se envolvem com drogas. “Iniciamos nosso trabalho no Tivoli Park, condomínio em Deerfield Beach, onde há grande concentração de brasileiros. Começamos a evangelizar alguns jovens drogados, que eram depois encaminhados para as igrejas evangélicas da região”, contou o pastor.

Em pouco tempo, porém, Lopes integrou-se tanto na comunidade que vislumbrou a possibilidade de abrir a Igreja Nova Aliança na Flórida, que já funciona há oito anos. Em 1997, os fiéis reuniam-se na Primeira Igreja Metodista, em Pompano Beach. Depois, o grupo passou a se encontrar na Igreja do Nazareno, denominação com a qual o pastor tem bastante afinidade.

Pouco a pouco os seguidores da Igreja Nova Aliança foram fortalecendo os encontros entre eles. Eram jantares, pic-nics e palestras que serviam como oportunidades para Lopes passar a mensagem de Jesus Cristo. “Nosso conceito é sempre incentivar a criação de células para estudos bíblicos. Mas nada daquela coisa parada, estanque, damos importância ao movimento jovem, com acompanhamento forte e destaque para uma música gospel contemporânea como forma de atrair a atenção dos jovens – 80% dos nossos fiéis têm menos de 40 anos de idade”, enfatizou.

Renovação continua – Rememorando o movimento de Reforma iniciado no séculos XVI, com Martinho Lutero, Calvino, Whitefield e outros, Lopes acredita que a renovação deve ser um movimento contínuo, sob pena das denominações ficarem presas a dogmas que seus fundadores condenaram no passado.

Os primeiros movimentos evangélicos pós-Reforma geraram igrejas hoje consideradas tradicionais, como Metodista, Anglicana, Batista, Episcopal, Presbiteriana, Luterana e outras. Muitas destas denominações floresceram nos EUA em conseqüência da perseguição sofrida pelos protestantes em alguns países da Europa. Eles vieram, então, para o Novo Continente com a proposta de implantar uma filosofia de liberdade ao culto religioso.

Demonstrando ser um teólogo bem informado, Lopes faz questão de separar as denominações religiosas das seitas. Dois exemplos de seitas são a Igreja Mórmon e as Testemunhas de Jeová. Ele qualifica as seitas de desvirtuamento acentuado da vida bíblica. “As diferenças entre as igrejas evangélicas são mínimas. Elas não mudam o texto bíblico, e sim as mensagens. Cabe a nós, pastores, saber como se comunicar com as pessoas sem perder a paixão pelo conteúdo bíblico”, analisou.

Mensagem – Por falar em mensagem, a Igreja Nova Aliança tem como objetivo alguns preceitos básicos, tais como mostrar a “Visão que Deus tem sobre Sua Igreja; transferir a Visão, estimulando os membros a crer no Corpo de Cristo; incentivar os membros a caminhar na Visão; ajudar os freqüentadores a discernir o dom de Deus, e ver cada membro da igreja como um ministro”, segundo seu estatuto.

A Igreja Nova Aliança conta com mais quatro ministros, além de Leidimar Lopes. A esposa Raquel, o casal Edilson e Rosane Braz e Claudio Lopes (que não tem nenhum parentesco com Leidimar) são os outros pastores que dividem as funções nos ministérios da igreja.

Adepto das células – que significam reuniões nas casas das pessoas -, a Igreja Nova Aliança tem programações voltadas para jovens, crianças e adolescentes, mulheres e casais. Lopes também está orgulhoso com a formatura da primeira turma de bacharéis em Teologia. “Temos uma parceria com a Doxa University para encaminhar nossos formandos para fazer Mestrado em Teologia e Aconselhamento”, declarou o pastor.

Ação social – Leidimar Lopes revelou que sua igreja já possui uma ramificação em West Palm Beach, em conseqüência da mudança de muitos fiéis para o condado de Palm Beach. Além da matriz em Margate, no condado de Broward, e desta filial, a Igreja Nova Aliança está presente no nordeste dos Estados Unidos e tem comissionados no Japão, Tunísia e no Brasil. Aliás, Lopes garantiu que há uma parceria bem estreita entre a Nova Aliança e Igreja Batista Independente, de onde ele é egresso. Em virtude da separação da igreja entre os condados de Broward e Palm Beach, a Nova Aliança possui 150 membros – número que Lopes assegurou corresponder ao de uma igreja média.

Para prestar ajuda aos brasileiros mais carentes, Lopes recorreu à Alliance International Outreach (agência de missionários) e instituiu o Food Bank – uma espécie de cesta básica que pode beneficiar vários compatriotas. “Este programa é uma parceria com o governo americano que visa diminuir o sofrimento dos menos favorecidos. Cabe a nós, como pastores, lutar por programas que possam beneficiar os necessitados”, disse o religioso.

O programa Food Bank começará no próximo dia 14 de novembro e qualquer pessoa pode cadastrar-se. Não é necessário ser membro da Igreja Nova Aliança. Está aí mais uma iniciativa de Leidimar Lopes, que se propôs a pregar o Evangelho de Cristo. Tanto que adotou como lema para a Igreja Nova Aliança a frase: “Até que todo ser ouça”.