A guarânia chorosa do Fluminense em Assunção

0
301
Felipe Melo, um dos líderes do time, desperdiçou uma penalidade máxima e provocou a desclassificação do Fluminense (Foto: Lucas Merçon/FFC)
Felipe Melo, um dos líderes do time, desperdiçou uma penalidade máxima e provocou a desclassificação do Fluminense (Foto: Lucas Merçon/FFC)

O Tricolor carioca fez uma campanha razoável no Brasileirão do ano passado e conquistou o direito de disputar a Pré-libertadores em 2022 juntamente com o América-MG.

A fim de cumprir uma campanha digna na principal competição entre clubes da América do Sul, o presidente do Fluminense, Mario Bittencourt, apostou na mescla entre jovens revelados na base do clube, localizada em Xerém, e veteranos experientes que garantiriam a tranquilidade no momento de enfrentar situações mais agudas. E ainda contratou Abel Braga como técnico em vez de trazer algum treinador estrangeiro como tem feito as principais equipes brasileiras.

Após um início titubeante em que foi derrotado pelo Bangu na primeira rodada da Taça Guanabara, o Flu acumulou 12 vitórias seguidas no Cariocão e na Pré-Libertadores, com vitórias sobre os rivais Flamengo, Vasco da Gama e Botafogo e sobre o Millonarios de Bogotá na segunda fase da competição continental. E ainda somou outra vitória sobre o Olimpia do Paraguai por 3 a 1 no Rio de Janeiro, antevendo uma classificação mais tranquila para a fase de grupos da Copa Libertadores da América. A fim de sacramentar a classificação, poupou os titulares na última rodada da Taça Guanabara – conquistada com uma rodada de antecedência – contra o Boavista em Bacaxá, onde o placar de 0 a 0 quebrou a série vitoriosa, mas manteve a invencibilidade.

Entretanto, a noite de quarta-feira (16) foi desastrosa para o Fluminense. A equipe carioca poderia perder por até um gol de diferença que garantiria sua vaga na principal fase da Libertadores. Porém, o sonho se transformou em pesadelo, com a derrota por 2 a 0 para o Olimpia em Assunção, com gols de Recalde e Paiva.

O resultado levou a decisão para a série de pênaltis, vencida pelo time paraguaio por 4 a 1, que resultou na classificação do Olimpia. Agora, O Fluminense se junta a Atlético-GO, Santos, Ceará, Internacional, São Paulo e Cuiabá na Copa Sul-Americana. O sorteio da fase de grupos acontece no dia 25 de março, junto com a Libertadores.

Não se trata de culpar ninguém pela desclassificação. Até porque jogos são vencidos e perdidos pela equipe e não individualmente. O irônico, porém, foi o fato de os veteranos terem falhado nos momentos decisivos. O goleiro Fábio rebateu uma bola despretensiosa na primeira partida e permitiu o gol de Derlis Gonzalez. Assim, a partida terminou em 3 a 1, pois Cano marcou dois gols e Luiz Henrique um para o Fluminense. Na cobrança das penalidades máximas, William Bigode e Felipe Melo desperdiçaram suas batidas decretando a eliminação do Tricolor das Laranjeiras do torneio.

Coelho obtém milagre

Jailson e Marquinhos Santos se emocionam com mais um feito histórico pelo América (Foto: Mourão Panda/América)
Jailson e Marquinhos Santos se emocionam com mais um feito histórico pelo América (Foto: Mourão Panda/América)

Ao contrário do Fluminense, o América-MG conseguiu a proeza de disputar a fase de grupos da Copa Libertadores da América pela primeira vez em sua história.

O Coelho eliminou o Guaraní do Paraguai com uma derrota por 1 a 0 em Belo Horizonte e uma vitória de 3 a 2 em Assunção. Na decisão por pênaltis, a equipe mineira passou para a fase seguinte por ter vencido o adversário por 5 a 4, graças a uma defesa do goleiro Jailson, ex-Palmeiras.

Na última fase da Pré-Libertadores, o América-MG enfrentou o Barcelona de Guayaquil. Ninguém conseguiu marcar um gol nos 180 minutos de jogo, e o time equatoriano ainda desperdiçou um pênalti no jogo de ida no Estádio Independência. No jogo de volta, novamente brilhou a estrela de Jailson, que defendeu uma penalidade máxima para garantir a classificação do time de Belo Horizonte.

Agora, o Coelho, que já está fora do quadrangular do Campeonato Mineiro, se prepara para o Brasileirão e aguarda o sorteio promovido pela Conmebol para saber quais serão seus adversários na fase de grupos da Copa Libertadores da América.

Flamengo sai na frente

Gabigol, cobrando pênalti, fez o gol da vitória do Flamengo sobre o Vasco da Gama pela semifinal do Campeonato Carioca (Foto: Marcelo Cortes/CRF)
Gabigol, cobrando pênalti, fez o gol da vitória do Flamengo sobre o Vasco da Gama pela semifinal do Campeonato Carioca (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

O Flamengo já entrou em campo com a vantagem de dois resultados iguais para chegar à decisão do Campeonato Carioca. E saiu do Maracanã com uma situação ainda mais tranquila ao vencer por 1 a 0 o Vasco, na quarta-feira (16) no Maracanã, no jogo de ida da semifinal do estadual. O gol da vitória foi marcado por Gabigol, de pênalti, no final do primeiro tempo do clássico.

Dessa forma, o Vasco vai precisar vencer por dois ou mais gols de diferença neste domingo (20) se quiser chegar à final do Campeonato Carioca e evitar que o Flamengo dispute sua quarta final seguida de estadual.

A outra semifinal será disputada entre Fluminense e Botafogo. O primeiro jogo está marcado para segunda-feira (21) no Estádio Nilton Santos, campo do Alvinegro carioca. A segunda partida será disputada no domingo (27) no Maracanã. Assim como o Fla, o Flu tem a vantagem de jogar por dois resultados iguais.

Santos em situação indefinida

Ferroviária e Santos ficaram no empate, mau resultado para os dois times (Foto: Tiago Maestre/Santos)
Ferroviária e Santos ficaram no empate, mau resultado para os dois times (Foto: Tiago Maestre/Santos)

Ferroviária e Santos fizeram um duelo emocionante na noite da quarta-feira (16), na Fonte Luminosa, em Araraquara, em jogo adiado da décima rodada do Paulistão por falta de energia na semana passada. O empate por 3 a 3, definido nos acréscimos do segundo tempo, deu o tom da situação desesperadora dos dois times, ainda ameaçados pelo rebaixamento à Série A2. Hygor, Thomaz e Bruno Mezenga fizeram os gols dos donos da casa. E Lucas Braga, Marcos Leonardo e Léo Baptistão (o herói) marcaram para o Peixe. O resultado mantém os dois ameaçados de rebaixamento. O Peixe, porém, também tem chance de classificação.

Com esse empate, a Ferroviária e o Santos foram a 11 pontos cada. O time de Araraquara, terceiro do Grupo B, não tem mais chances de classificação e precisa de um empate na última rodada, contra o Mirassol, para se salvar. O Peixe, terceiro no Grupo D, ainda pode avançar às quartas de final, assim como ser rebaixado. Para se classificar, o time precisa vencer o Água Santa e torcer por empate ou derrota do Santo André para a Inter de Limeira. E para seguir na A1, precisa de mais um ponto ou então que a Ponte Preta não vença o Ituano.

São Paulo e Cruzeiro se classificam na Copa do Brasil

Diego Costa comemora seu gol na vitória do São Paulo sobre o Manaus no Morumbi (Foto: Rubens Chiri/SPFC)
Diego Costa comemora seu gol na vitória do São Paulo sobre o Manaus no Morumbi (Foto: Rubens Chiri/SPFC)

Enfrentando duas equipes sem nenhuma tradição, o Tricolor paulista e a Raposa mineira não tiveram dificuldades para vencer seus compromissos na quarta-feira (16) e, assim, carimbar suas participações na fase decisiva da Copa do Brasil.

O Cruzeiro fez valer o favoritismo, superou o gramado ruim, a viagem longa, venceu o Tuntum-MA e se classificou para a terceira fase da Copa do Brasil. A equipe mineira aproveitou melhor as oportunidades e contou com a boa atuação de Vitor Roque. O atacante marcou no primeiro tempo, e no segundo tempo sofreu pênalti. O artilheiro Edu convertou. O camisa 99 ainda ampliou para a Raposa, no rebote do goleiro Danilo após falta batida por Pedro Castro. Com a classificação, o Cruzeiro embolsa R$ 1,9 milhão e chega à terceira fase.

O São Paulo teve vida tranquila e avançou à terceira fase da Copa do Brasil depois de vencer o Manaus por 2 a 0, no Morumbi, em jogo único da segunda etapa do torneio. Bem diferente do que se viu na primeira eliminatória, quando o Tricolor só se classificou por ter a vantagem do empate contra o Campinense após o 0 a 0 em Campina Grande. Desta vez, o time de Rogério Ceni dominou as ações desde o início, teve paciência para furar a retranca do Manaus e construiu a vitória com tranquilidade, com gols de Eder e Diego Costa, mantendo vivo o sonho do primeiro título da Copa do Brasil e levando premiação importante pela vaga.