Alabama certifica como senador o democrata Jones, apesar dos recursos apresentados por Moore com denúncias de supostas fraudes

Funcionários estaduais desconsideraram as alegações do republicano sobre fraude eleitoral, deixando assim os republicanos em uma posição complicada no Senado, onde terão uma maioria apertada de 51-49

0
1417
Doug Jones

O Alabama certificou na quinta-feira (28) o democrata Doug Jones como o ganhador das eleições especiais para o Senado no último 12 de dezembro, não acolhendo assim as alegações de fraude eleitoral realizadas no último momento pelo republicano Roy Moore, fazendo com que a maioria republicana fique reduzida à mínima diferença de uma cadeira (51-49) a partir de janeiro.

A certificação foi realizada pouco depois de um juiz rechaçar a intenção do republicano Moore para que o democrata não fosse declarado vencedor da eleição.

Jones venceu seu adversário em uma eleição acirrada marcada pelas denúncias de abuso sexual contra o republicano, que sempre as negou. Moore, por sua vez, não reconheceu sua derrota, nem mesmo quando o presidente Donald Trump cumprimentou Jones.

O juiz Johnny Hardwick determinou em sua decisão que “não tem jurisdição” para impedir a validação dos resultados, portanto negou a petição de Moore.

Na noite de quarta-feira (27), os advogados de Roy apresentaram uma petição para evitar a certificação dos resultados alegando fraude, mesmo sem apresentar provas. Na verdade, não foram encontradas evidências de manipulação da eleição.

O secretário de Estado do Alabama, John Merrill, disse na quarta-feira à tarde à The Associated Press que não pretendia atrasar a reunião da junta eleitoral. “Não vou retardar a ratificação e Doug Jones será ratificado à 1:00 da tarde e jurará o cargo diante do vice-presidente (Mike) Pence em 3 de janeiro”, disse Merrill.

Embora tenha dito não ter encontrado nenhum indício de fraude, Merrill disse aos advogados de Moore que continuará investigando as denúncias contra Jones.