América Latina entra no radar das criptos da FTX

Fundador da empresa defende também mais regulamentação para o setor 

0
438
Sam Blankman-Fried está de olho no mercado latino-americano de criptomoedas (Foto: Wikimedia Commons)
Sam Blankman-Fried está de olho no mercado latino-americano de criptomoedas (Foto: Wikimedia Commons)

O bilionário norte-americano Sam Bankman-Fried, fundador e CEO da exchange de criptomoedas FTX, está interessado em abrir mercados na América Latina, embora não mencione um plano em concreto, e defende mais regulamentação para os cripto-ativos. Segundo ele, isso poderia oferecer “mais confiança institucional ao setor”, que atravessa uma fase de queda de preços.

“Acredito que, definitivamente, precisamos de mais regulamentação para as moedas criptográficas globalmente e, principalmente, nos Estados Unidos. Eu realmente apoio as iniciativas da Securities and Exchange Commission, a SEC, e da Commodity Futures Trading Commission, a CFCT, nesse sentido”, disse Bankman-Fried em uma entrevista à Bloomberg Línea.

Além disso, a plataforma de criptomoedas FTX, cofundada pelo bilionário californiano, está em negociações para arrecadar mais fundos, depois de sair às compras durante a recente liquidação de ativos digitais.

Eles têm como meta uma rodada de captação de recursos que preserva o mesmo valor (valuation) calculado em um levantamento de recursos feito em janeiro, segundo pessoas familiarizadas com o assunto. Em janeiro, a FTX arrecadou $400 milhões com uma avaliação de $32 bilhões, enquanto sua unidade FTX US levantou outros $400 milhões e foi avaliada em $8 bilhões.