Americana não paga por serviço prestado e ameaça denunciar brasileira para Imigração

Acusação foi feita por rondoniense que trabalhou 28 horas como babysitter e não recebeu

0
16349
Mensagens trocadas entre a brasileira e a americana
Mensagens trocadas entre a brasileira e a americana

DA REDAÇÃO – A brasileira Cecília Veríssimo trabalhou para uma americana em Coconut Creek (FL) como baby-sitter por 28 horas seguidas, em um final de semana há três meses, e até hoje não recebeu. Cecília acusa a americana de, além de não ter efeituado o pagamento de $280, ainda a ameaçou de denunciá-la para a Imigração “por ela e sua família não ter documentos”.

Em um grupo de brasileiros nas redes sociais, Cecília postou a acusação e a mensagem com as ameaças (veja imagem da conversa). “Atenção amigos, essa americana chama para fazer babysitter e não paga, vim alertar para vocês não trabalharem para ela. Trabalhei 28 horas seguidas cuidando das duas crianças há três meses e até hoje ela não me pagou. Ela me manda mensagens dizendo que nunca vai me pagar mesmo porque não sou cidadã americana e que vai ligar para a polícia mandando deportar eu e toda minha família se eu cobrar ela (sic)”, postou Cecília.

Em entrevista ao Acheiusa, Cecília explicou que viu o anúncio em um grupo no Facebook de que uma pessoa precisava de babá para as crianças de três anos e um ano e meio. Ela disse estar disponível e entrou em contato com a pessoa. “Eu fui até a casa, ainda levei o meu passaporte, mas ela nem me pediu. Eu trabalhava aos finais de semana que ela costumava me pagar uma semana depois. Até que um final de semana, ela saiu na sexta, voltou só no sábado à noite e disse que me pagaria na semana seguinte, mas isso não aconteceu”, disse.

Cecília, que chegou do Brasil há 11 meses, relatou que como não recebia passou a enviar mensagens de texto para a americana e ela insistia que não tinha dinheiro que quando tivesse entraria em contato.

“Ela parou de atender as ligações e de me responder, até que um dia passou a me ameaçar. Falou que se eu não parasse de cobrar, ela iria me denunciar para a Imigração e que toda a minha família seria deportada”.

Repercussão

O post de Cecília gerou vários comentários na página do grupo. As pessoas se solidarizaram com a brasileira e disseram que isso é muito mais comum do que se imagina. “Cecília, como assim trabalhou 28 horas seguidas? E por que você não foi à polícia? Aqui não é o Brasil, se fez errado, vai pagar e isso nada tem a ver com seu status imigratório”, disse uma internauta.

“Estou chocada com a atitude dessa mulher mau caráter! Não tenha medo e denuncie!”, comentou outra. E outra aconselhou: “Comece a ligar no trabalho dela pedindo para chamá-la urgente. Se disserem que não dá, explique que ela está te devendo e passe lá no trabalho dela, acho que ela não vai querer passar vexame na frente dos pais das alunas”.