Após a morte do líder al-Zawahiri, saiba quem são os terroristas mais procurados pelos EUA

Abd al-Rahman, genro de líder da al-Qaeda morto, também está na lista. Recompensas por informações vão até $10 milhões

0
776
A jordaniana Ahlam Aref Ahmad al-Tamimi está na lista dos mais procurados pelo FBI (Foto: Reprodução)
A jordaniana Ahlam Aref Ahmad al-Tamimi está na lista dos mais procurados pelo FBI (Foto: Reprodução)

O líder da al-Qaeda Ayman al-Zawahiri, morto na segunda-feira (1º) por um drone americano, era um dos terroristas mais procurados por autoridades dos Estados Unidos, como o FBI. O órgão dos EUA oferecia uma recompensa de $25 milhões por informações que levassem a sua captura. A extensa lista de terroristas mais procurados pelos EUA inclui ainda outros mais de 40 nomes.

Com Zawahiri morto, o principal procurado pelas autoridades americanas passou a ser o egípcio Saif al-Adel, um dos responsáveis pelos ataques a bomba às embaixadas americanas no Quênia e na Tanzânia, em 1998. Segundo o FBI, ele provavelmente ocupa um elevado posto na hierarquia da al-Qaeda. As autoridades dos EUA pagam $10 milhões por informações que levem a sua captura.

O segundo homem mais procurado passou a ser o marroquino Abd al Rahman al-Maghrebi, por quem o FBI oferece uma recompensa de $7 milhões.

Também ligado à al-Qaeda, Abd al-Rahman estudou programação na Alemanha antes de ir para o Afeganistão, onde passou a comandar o setor de mídia do grupo terrorista. Segundo o FBI, ele era genro de al-Zawahiri.

Veja outros nomes na lista de terroristas mais procurados pelos EUA

A lista do FBI tem ainda outros 17 nomes pelos quais são oferecidas recompensas de $5 milhões. Entre eles, estão incluídos membros de organizações como o Hezbollah, do Líbano, e o al-Shabab, da Somália.

Um desses procurados é o americano Jehad Serwan Mostafa, nascido no estado de Winsconsin, em 1981, e membro do al-Shabab. Segundo o FBI, ele teria se juntado ao grupo da Somália após se formar na universidade em San Diego, na Califórnia, no ano de 2006. Ele ocupou diferentes funções e cargos no grupo, além de ter atuado como intermediário junto a outras organizações terroristas.

A jordaniana Ahlam Aref Ahmad al-Tamimi é outra na lista. Ela é acusada de participar do ataque de 9 de agosto de 2001, quando homens bombas explodiram uma pizzaria em Jerusalém. Ao todo, 15 pessoas morreram, entre elas dois cidadãos americanos.

Outro procurado pelas autoridades americanas é o paquistanês Sajid Mir, acusado de planejar uma série de ataques terroristas a múltiplos alvos em Mumbai, na Índia, em 2008. Cento e setenta pessoas morreram, entre elas seis americanos. Segundo o FBI, ele provavelmente mora no Paquistão e pode ter passado por uma cirurgia plástica para alterar o rosto.