Art Basel Miami Beach: especialistas de mercado discutem transparência de preços

Eles aconselham os colecionadores a tomar cuidado no momento de aquisição de obras de arte

0
623
Um grupo de especialistas do mercado de arte se reuniu na Art Basel Miami Beach para discutir os preços das obras de arte (Foto: Art Basel Miami Beach)
Um grupo de especialistas do mercado de arte se reuniu na Art Basel Miami Beach para discutir os preços das obras de arte (Foto: Art Basel Miami Beach)

DA REDAÇÃO – Art Basel convidou um grupo de especialistas para discutir a transparência de preços no mercado de arte contemporânea híbrida na quarta-feira (30) no Centro de Convenções de Miami Beach.

Esther Kim Varet disse que a opacidade de preços tem sido historicamente a norma, já que o mundo da arte prosperou no sigilo. A prática, disse ela, tem intimidado os novos colecionadores que chegam ao mercado vindos da China.

“Acho que realmente se tratava do revendedor mantendo o controle dos preços de uma forma que pudesse servir melhor ao artista ao longo do tempo”, disse Varet, cofundadora das galerias Various Small Fires.

Marion Maneker, o moderador, disse que o tópico é mais relevante agora que as vendas online aumentaram durante a pandemia. O veterano jornalista é diretor editorial da LiveArt, uma plataforma de mercado digital.

Alexander Forbes disse que há muito o que aprender com o mercado secundário de tokens não fungíveis. Os NFTs fornecem prova da propriedade de um arquivo digital por meio da tecnologia blockchain.

Forbes, diretor de desenvolvimento corporativo e inteligência de mercado do Artsy, disse que as pesquisas mostraram que 60% a 80% dos usuários do Artsy estão comprando arte para se divertir e não é apenas uma classe de ativos.

“É um processo completamente sem atrito”, disse Forbes, que trabalha para Artsy, uma corretora de arte online com sede em New York.

“O que fazemos com tanta frequência, especialmente entre os mais jovens, é o desejo de compreender: ‘Se vou colocar uma parte significativa do meu patrimônio líquido em obras de arte, posso retirá-la no futuro, se precisar? Pode ter algum valor? Ou vai se depreciar?’”

Heather Flow, a outra participante, fez carreira ajudando compradores a navegar no mundo da arte. Maneker disse que o fundador da Flow Advisory, empresa de consultoria de arte com sede em New York, também protege seus clientes “contra os tubarões”.

Boa venda e novo trabalho do Banana Guy

“Art Basel era realmente apenas frequentada por europeus”, disse Jeffrey Deitch, curador e dealer baseado em Los Angeles. “Desta vez, há colecionadores da América do Sul, África, Ásia e dos Estados Unidos. Esta é a primeira vez que colecionadores de todo o mundo da arte se reúnem. As pessoas estão entusiasmadas.” 

Na Art Miami, uma obra do grafiteiro britânico Banksy intitulada “Charlie Brown” foi vendida por $4 milhões no estande da Maddox Gallery. 

O Banana Guy também está de volta a Basel. Desta vez, ele trouxe um evento com pombos. O famoso artista conceitual e piadista da arte Maurizio Cattelan, cuja banana de $ 120.000 – uma fruta madura de verdade colada na parede de uma galeria – causou um rebuliço mundial na edição anterior de Miami Beach em 2019, está exibindo novos trabalhos no estande da Perrotin. Empoleirados no topo das paredes do estande estão 56 pombos.