Às vésperas do Dia das Mães, famílias separadas na fronteira se reúnem

Entidade pró-imigrantes em parceria com Departamento de Homeland Security (DHS) promoveram encontros de mães e filhos separados na fronteira dos EUA com o México

0
1488
Jovem se emociona ao reencontrar a mãe depois de três anos (Foto cedida pela organização Families Belong Together)

Bryan Chavez não via a mãe desde 2017, quando os dois vieram para os Estados Unidos pelo México e foram separados por oficiais ao se apresentaram aos agentes em busca de asilo. O encontro da família Chavez e de outras famílias aconteceu esta semana próximo à fronteira, em San Ysidro (CA).

Outra mãe de Honduras teve a chance de reencontrar os dois filhos, Mino e Erick, depois de mais de três anos.  Mabel passou dois anos presa na imigração e foi deportada para Honduras. Seus filhos estavam vivendo com a avó na Filadélfia.

Essas duas famílias são as primeiras a se reunirem em encontros organizados por instituições pró-imigrantes que estão trabalhando com o governo na força-tarefa para reunificar famílias separadas na fronteira. Até o momento, sob a administração Joe Biden, mais de mil famílias já se reuniram.

“Parece um sonho. Eu não acredito que estou vendo minha mãe depois de todo esse tempo”, disse Bryan. A mãe dele foi presa na fronteira e ele, que ficou detido por alguns meses em uma prisão da imigração para jovens, mas depois foi morar com familiares na Califórnia. Outras famílias vão se unir nas próximas semanas. Advogados de imigração estão tentando garantir algum tipo de proteção humanitária para essas pessoas, mas nada foi definido ainda. Segundo essas entidades, há ainda muito trabalho pela frente para localizar os pais de menores que foram separados na fronteira devido à falta de informações.