Atirador em massa de Buffalo pode ser condenado à pena de morte

Caso ocorreu em maio e supermercado reabriu suas portas na semana passada, dois meses depois do atentado

0
258
Supermercado reabriu na semana passada, dois meses após o massacre, e manteve o memorial às vítimas (Foto: Reprodução da TV – CNN)
Supermercado reabriu na semana passada, dois meses após o massacre, e manteve o memorial às vítimas (Foto: Reprodução da TV – CNN)

O atirador Payton Gendron, acusado de matar 10 pessoas de origem afro-americana em um tiroteio racista em massa em um supermercado de Buffalo, pode pegar pena de morte se for considerado culpado. Além dos crimes de ódio, há 27 acusações no processo formal entregue às autoridades judiciais, incluindo que Gendron se envolveu em um planejamento substancial para cometer um ato de terrorismo e mirou em idosos vulneráveis.

O caso aconteceu em maio e o atirador transmitiu ao vivo o ataque, antes de ser preso do lado de fora do Tops Friendly Supermarket. Ele estava vestindo coletes à prova de balas e abriu fogo contra compradores e funcionários do supermercado. Outras três pessoas ficaram feridas. O estabelecimento reabriu ao público na semana passada, dois meses após o ataque.

Os investigadores dizem que o atirador dirigiu por mais de três horas de sua casa em Conklin, Nova York, para um movimentado supermercado, com a intenção de matar o maior número possível de afro-americanos. Ele foi motivado, segundo eles, por crenças de supremacia branca que ele descreveu em postagens em seu diário online.

Gendron escreveu em novembro sobre encenar um ataque transmitido ao vivo, praticou tiro de seu carro e fez reconhecimento na loja dois meses antes de realizar os planos, de acordo com os escritos. Ele chegou à loja vestindo roupas de camuflagem e um capacete de estilo tático equipado com uma câmera de vídeo.

A promotoria federal apresentou várias acusações de crimes de ódio. Gendron também enfrenta um processo estadual paralelo por acusações que incluem terrorismo doméstico motivado por ódio, que acarreta uma sentença de prisão perpétua automática. Ele se declarou inocente.