Autópsia revela 111 golpes de faca em corpo de brasileira assassinada em Jacksonville

O ex-marido da vítima, Nabil Harbi Abdel Majid, está sendo acusado de ter cometido o assassinato e responderá por homicídio em segundo grau.

0
5725
Nabil Harbi Abdel Majid, 49 anos, foi preso na cena do crime e responderá por assassinato em segundo grau. ( foto: Duval's County Sheriff Office)
Nabil Harbi Abdel Majid, 49 anos, foi preso na cena do crime e responderá por assassinato em segundo grau. ( foto: Duval's County Sheriff Office)

A polícia do condado de Duval, em Jacksonville, revelou novos detalhes do crime bárbaro ocorrido no complexo de apartamentos Coquina Bay no último dia 8 de agosto, e que vitimou a brasileira Anita Abdel-Majid, 50 anos.  Segundo o laudo da autópsia realizada no corpo de Anita e divulgado na última quinta-feira (20), ela recebeu 111 golpes de faca, sendo 39 na região das costas e vários nas mãos e antebraços, o que sugere posição de defesa. 

Os policiais foram chamados pelos vizinhos do apartamento em que ela morava com o marido, Nabil Harbi Abdel Majid, 49 anos, que está sendo acusado de ter cometido o crime e responderá por assassinato em segundo grau. 

As novas informações sobre o caso reportam que ao chegarem no local os agentes não conseguiram arrombar a porta que estava trancada, e tiveram que escalar uma janela para entrarem no apartamento. Anita foi encontrada pelos agentes por volta das 5 p.m. ainda com vida, mas faleceu minutos depois.

Segundo o relatório da policia, o ex-marido foi autuado em flagrante e apresentava quatro cortes no pescoço e no peito. Mais tarde, ele disse a um médico que acordou com sua esposa esfaqueando-o e se defendeu. O médico, entretanto, disse que as feridas do homem pareciam ter sido autoinfligidas.

A reportagem do AcheiUSA conversou com uma pessoa ligada à família da vítima que preferiu não ter sua identidade revelada. Ela afirmou  que Anita vivia uma relação abusiva com o ex-companheiro. “Eu sempre soube das brigas, ela vivia uma vida infeliz”, disse. 

Segundo a fonte, situações de agressões físicas e violência psicológica eram comuns. “Ele mandava várias mensagens por dia, era possessivo. Dizia que queria morrer, mas ia levá-la com ele”, relatou.

Anita era natural de Catanduva/SP e tinha três filhos, dois deles com o homem que a vitimou. 

Clique aqui para mais detalhes sobre o caso