Bactéria carnívora faz nova vítima em praia da Flórida

Homem do Tennessee contraiu bactéria na praia de Destin; “Flesh eating bacteria parece uma lenda urbana, mas não é. Levou a vida do meu pai”, escreveu filha da vítima no Facebook

0
8014
Dave Bennett morreu após ser infectado pela bactéria carnívora em Destin (Foto Facebook - arquivo pessoal)
Dave Bennett morreu após ser infectado pela bactéria carnívora em Destin (Foto Facebook - arquivo pessoal)

Desta vez, Dave Bennet, do Tennessee, morreu depois de ser infectado pela bactéria Vibrio vulnificus, quando passava férias em Destin (FL).

“A flesh eating bacteria parece uma lenda urbana, mas não é. Levou a vida do meu pai”, postou Cheryl Bennet Wiygul no Facebook.

O pai de Cheryl estava lutando contra um câncer, portanto, estava com a imunidade do organismo muito baixa. Segundo ela, o pai não tinha nenhum ferimento aberto e a família tomou precauções para que ele não fosse infectado. A família saiu para passear de barco e nadou no mar. Horas mais tarde, o pai acordou com muita febre e foi levado para o hospital.

Já no Tennessee, os médicos começaram a aplicar antibiótico, mas teve infecção generalizada e morreu.

Segunda morte na FL

A bactéria fez outras duas vítimas na Flórida nos últimos dois meses e é responsável por mais de 100 mortes nos Estados Unidos todos os anos, de acordo com o US Centers of Disease Control.

Lynn Fleming, moradora de Ellenton (FL), contraiu a bactéria na praia de Ana Maria Island, na Costa Oeste, em junho. Ela morreu no hospital.

De acordo com a família de Lynn, ela saiu para dar uma volta na praia, acabou escorregando na água e machucou a perna no dia 14 de junho. O corte pequeno na perna esquerda em contato com a água contaminada foi o ambiente ideal para a proliferação da flesh-eating bactéria.

Outro caso

Kylei Brown, de 12 anos, e sua família estavam em Destin, no início de junho de férias. Depois de passar um dia na praia, a criança acordou com uma dor horrível abaixo do joelho.

Michelle Brown, mãe de Kylei, ligou para o médico da menina, que recomendou que ela fosse levada para a emergência, onde detectaram que a perna já estava em processo de necrose, e a perna sendo ‘devorada’ pela bactéria flesh eating.

“Ela foi levada para a sala de cirurgia para que a infecção fosse removida. Eles conseguiram salvar a perna da minha filha a tempo, por sorte porque a infecção estava se espalhando muito rápido”, disse Michelle.

Clique aqui para saber como se prevenir da bactéria carnívora.