Bactéria carnívora matou oito pessoas na Flórida este ano

Último óbito foi confirmado sexta-feira passada (10) no condado de Leon; especialistas recomendam que as pessoas não entrem na água se tiverem ferida na pele e evitem comer frutos do mar crus

0
2646
Maioria das infecções acontece no verão, quando as pessoas vão à praia mais vezes (foto: Flickr)

Do início do ano até agora, oito pessoas morreram na Flórida após serem infectadas pela bactéria Vibrio vulnificus, também conhecida como bactéria carnívora.

Segundo dados do Florida Health Department, outros vinte moradores do estado  ficaram doentes pelo mesmo motivo. 

Em 2018, nove óbitos foram relacionadas com a infecção, mas, desde então, não eram registrados tantos casos fatais pelas autoridades de saúde. O último óbito foi confirmado no condado de Leon na sexta-feira passada (10).

Esta bactéria é uma parente direta da Vibrio cholerae, a mesma responsável pela cólera. Ela se desenvolve em águas de temperatura morna e salgada e penetra no corpo humano por meio de ferimentos ou cortes na pele.

Quando isso ocorre, pode necrosar partes do corpo do indivíduo, como se estivesse devorando por dentro– por isso é chamada de bacteria carnívora (flesh-eating bacteria, em inglês).

Os Centers for Disease Control (CDC), também alertam para a contaminação através da ingestão de mariscos crus, como ostras. Nestes casos, os sintomas mais comuns são diarreia, vômitos e dor abdominal.  

Apesar de assustadora, entretanto, as contaminações pela bactéria carnívora são consideradas raras e muitas vezes podem ser tratadas com antibiótico. A maioria dos casos acontece no verão, quando as pessoas vão à praia com maior frequência.

Para evitar o problema, especialistas recomendam que os cidadãos não entrem no mar se tiverem alguma ferida na pele e evitem comer frutos do mar crus.

As morte relatadas este ano na Flórida aconteceram nos seguintes condados: Duval 1, Escambia 1, Lee 1, Leon 1, Mantee 2, Orange 1, Polk 1.