Aglomerações preocupam governador de New York

Estado recebeu 25 mil denúncias de violações no fim de semana; os estados de NY e New Jersey concentram mais de um terço das quase 116 mil mortes provocadas pela Covid-19 nos Estados Unidos

0
535
Domino Park no Brooklyn, New York, U.S., May 16, 2020. REUTERS/Eduardo Munoz

A cidade de New York deu início à fase 1 de reabertura na semana passada e, no último fim de semana, portas de bares e ruas cheias preocuparam o governador Andrew Cuomo.

O Estado de NY recebeu 25 mil queixas de moradores preocupados com aglomerações e de uma possível “segunda onda” de coronavírus. A maior parte das reclamações partiu de Manhattan e dos Hamptons, área que concentra comunidades litorâneas ricas situada no extremo leste de Long Island.

“Aos governos locais digo: ‘façam seu trabalho'”, afirmou Cuomo em entrevista coletiva. No último fim de semana, ele criticou as multidões diante dos bares nas ruas de New York e exigiu que as pessoas cumpram as regras de distanciamento social de dois metros.

Cuomo e o governador da vizinha New Jersey, Phil Murphy, cujos estados estão entre os mais afetados pela Covid-19 nos EUA, disseram que estão deixando em aberto a opção de readotar restrições se as autoridades locais não impedirem grandes aglomerações públicas que criam o risco de disseminar infecções.

“Rezo a Deus para que não precisemos”, disse Murphy durante visita ao calçadão de Atlantic City quando indagado sobre a possibilidade de voltar a fechar o comércio.

Juntos, NY e New Jersey respondem por mais de um terço das quase 116 mil mortes provocadas pela Covid-19 nos Estados Unidos. Os dois estados seguem as diretrizes de saúde para reabrir os negócios enquanto as medidas de infecção recuam — casos novos, mortes, hospitalizações e taxas positivas entre as pessoas sendo examinadas. (Com informações da Reuters)