Batidas do ICE prendem 98 imigrantes no Texas e Oklahoma

Durante a série de batidas foram detidos 87 homens e 11 mulheres com idades entre 19 e 62 anos

0
1904
ICE prendeu 98 pessoas no Texas e Oklahoma
ICE prendeu 98 pessoas no Texas e Oklahoma

Agentes do U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE) prenderam 98 imigrantes indocumentados em North Texas e Oklahoma em operação que durou dez dias e foi concluída na sexa-feira (21).

Durante as operações, os agentes do ERO realizaram prisões em 38 cidades no Texas: Amarillo (2), Arlington (2), Athens (1), Big Spring (1), Bridgeport (1), Canton (1), Carrollton (1), Dallas (11), Denton (3), Fort Worth (5), Frisco (3), Garland (1), Gilmer (4), Grapevine (1), Greenville (1), Haltom City (1), Haslett (1), Hawley (1), Irving (6), Jacksboro (2), Kaufman (1), Lewisville (2), Longview (2), Lubbock (9), McKinney (3), Mesquite (2), Palestine (2), Pampa (4), Perryton (2), Plainview (2), Plano (1), Sache (1), San Ângelo (2), Sherman (2), Tyler (1), Wichita Falls (1) e White Oak (1). O total de 11 detenções ocorreram em Oklahoma e Oklahoma City (3) e Tulsa (8). Entre os 98 presos, 67 possuíam antecedentes criminais; sendo 87 homens e 11 mulheres e as idades variam de 19 a 62 anos.

Os estrangeiros detidos nas batidas são naturais dos respectivos 6 países: México (82), El Salvador (7), Honduras (6), Marshall Islands (1), Paquistão (1) e Peru (1).

Segundo comunicado do ICE, a maioria dos detidos pelos agentes tinha antecedentes criminais que incluem: tráfico de pessoas, agressão, invasão, furto, drogas pesadas, uso de arma de fogo, violência doméstica, dirigir intoxicado, tráfico de drogas, fraude, entrada ilegal nos EUA, fugir da cena de acidente, homicídio, estelionato, abuso de menores, posse de maconha, posse ilegal de arma, violação de liberdade condicional, resistir autoridade, abuso sexual, agressão sexual, agressão sexual contra menor e invasão de propriedade. Além disso, foram cinco membros de gangues de rua em situação legal no país.

Vinte e nove dos detidos haviam reentrado clandestinamente nos EUA, após terem sido deportados; o que é um delito. Dependendo dos antecedentes criminais do estrangeiro, um estrangeiro deportado que reentra clandestinamente nos EUA pode ser condenado a até 20 anos numa penitenciária federal, caso seja condenado. Cinco dos presos foram postos em julgamento por terem reentrado no país depois da deportação.