Biden anuncia novas sanções contra a Rússia e reitera que EUA não irão combater na Ucrânia

Presidente autorizou o envio de tropas adicionais para a Alemanha, que irão defender os aliados da OTAN no leste europeu

0
1183
Tanques ucranianos entram em Kiev (foto: CARLOS BARRIA/ Reuters)

O presidente Joe Biden disse nesta quinta-feira (24), que irá restringir transações em dólar para empresas russas, incluindo quatro grandes bancos estatais, e membros da elite econômica próximos a Vladimir Putin. As medidas anunciadas durante discurso  na Casa Branca são uma resposta aos ataques em larga escala comandados por Putin contra a Ucrânia. “Estou autorizando fortes sanções e novas limitações sobre o que pode ser exportado para a Rússia”, falou o americano, acrescentando. “Isso vai impor um custo severo à economia [da Rússia] imediatamente e em longo prazo.” As sanções foram coordenadas com os países do G7 – grupo que envolve líderes de algumas das maiores economias do mundo. Como resultado, a Rússia fica limitada de fazer negócios envolvendo dólar, euro, libra e iene, que são as moedas americana, da União Europeia, Reino Unido e Japão.

De acordo com o U.S Treasury Department, instituições financeiras russas realizam cerca de $ 46 bilhões em transações diárias, globalmente, 80% das quais são em dólares americanos. A grande maioria delas agora será interrompida. Biden também fez questão de reforçar que não irá enviar soldados dos EUA para entrar para combater na Ucrânia. Mas autorizou o envio de tropas adicionais para a Alemanha, que irão defender os aliados da OTAN no leste europeu.

“Nossas forças não estão indo para a Europa para lutar na Ucrânia, mas vamos defender cada centímetro do território da OTAN com toda a força do exército americano”disse Biden.