Biden cede pressão de Zelensky e envia foguete de longo alcance à Ucrânia

Armamento foi enviado após garantia do líder ucraniano de que não será usado contra alvos dentro do território da Rússia; autoridades russas repudiaram o envio do foguete e disseram que não confiam em Zelensky

0
464
Tanques de guerra da Ucrânia seguem em direção à fronteira com a Rússia (foto: Flickr)

O presidente Joe Biden cedeu à pressão do líder ucraniano Volodymyr Zelensky e concordou em enviar um foguete de longo alcance para o país europeu se defender dos ataques da Rússia.  O armamento havia sido solicitado várias vezes por Zelensky, mas o presidente americano recusou, temendo que a arma pudesse ser usadas contra alvos dentro do território de Vladimir Putin. O jornal The New York Times reportou que um alto funcionário do governo afirmou que o equipamento e só foi liberado após garantias de que não seria o caso. 

O foguete MLRS M270 pode atingir um alvo a até 50 milhas de distância e faz parte de um pacote adicional de $700 milhões destinado a fortalecer a Ucrânia na guerra contra o Kremlin.  No total, o governo Biden reservou $5 bilhões em mísseis antitanque e antiaéreos, veículos aéreos não tripulados, helicópteros e vários outros aparatos militares.

A Rússia repudiou a nova ajuda dos EUA, afirmando que não confia nas palavras das autoridades ucranianas de que não atacarão seu território. O chanceler Sergei Lavrov, falou que o fornecimento dos foguetes de longo alcance podem ampliar o conflito e envolver outros países nos combates que já duram meses. Ele afirmou ainda que os EUA estão “direta e intencionalmente adicionando combustível ao fogo” com suas entregas de armas à Ucrânia. 

Momentos após a confirmação do envio da entrega do armamento à Ucrânia, oficiais militares russos anunciaram que as forças nucleares do país estavam realizando exercícios na região de Ivanovo, perto de Moscou.